ANTONELLA CANNAS HABENS – A fotógrafa sarda da nova geração da FINE ART.

27 out

Edição: Blog Sardegnaterramia. – Brasil – Por Lucinha Dettori

Caros leitores,

Hoje vamos conhecer através do Blog, uma cara amiga, Antela Cannas Habens, que conheci em uma das minhas idas e vinda à ilha da Sardenha. Nosso encontro se deu em um evento na cidade de Sassari, junto aos amigos Irene Loddo, também artista fotógrafa, e o famoso pintor, decano, Ielmo Caras, em 2018. Todos residentes em Carbonia.

Dali pra frente ficamos grandes amigos e me sinto muito feliz em acompanhar o trabalho extraordinário de todos, onde destaco o trabalho fotográfico de Antonella Habens, com notáveis características do estilo Fine Art, ou a obra que já nasce como arte pura, para ser vista, observada e compreendida. Nada mais.

Ela trabalha com fotografia há vários anos, tendo em seu longo currículo, trabalhos elaborados em vários países do mundo, iniciado como fotógrafa de modas em Paris, New-York e na grande Milão.

Nascida em Iglezias, hoje reside em Carbonia, e se dedica a um trabalho eclético dentro da arte da fotografia, os quais terei o imenso prazer de apresentar para vocês em uma pequena galeria neste Blog. Mas antes quero, destacar um comento de um crítico de artes, o qual define brilhantemente o excepcional trabalho artístico fotográfico de Antonella Cannas Habens.

“Não importa o que você está olhando, mas o que você pode ver”. Acredito que esse aforismo de Henry David Thoreau possa ser sobreposto aos trabalhos fotográficos de Antonella Cannas, que com sua câmera capta vislumbres de vida dos quais outros provavelmente escapam porque mesmo que vejam com os olhos não podem ir mais longe. Ultrapassar o limiar do perceptível para apreender momentos do quotidiano que, observados com atenção, podem dar várias interpretações e os intérpretes, ao realizarem as mesmas ações, dão espaço a diferentes momentos. Mas Antonella consegue imortalizar o instante exato, o segundo preciso que dá à imagem o sentido que a artista queria transmitir. A alma poética de Cannas sela no plano o que a vida nos dá é da vida e novas interpretações para imagens familiares. “Só se vê claramente com o coração. O essencial é invisível a olho nu”, lembra a raposa ao Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry, e na essencialidade da obra de Antonella Cannas encontramos o que é visível ao coração, o que se esconde da maioria das pessoas. “

Claudio Moica

ANTONELLA CANNAS HABENS – La fotografa Sarda della nuova generazione di FINE ART.

Oggi incontreremo attraverso il Blog, una cara amica, Antonella Cannas Habens, che ho conosciuto durante uno dei miei viaggi e in arrivo in Sardegna. Il nostro incontro è avvenuto in occasione di un evento nella città di Sassari, insieme alle amiche Irene Loddo, anche lei fotografa artista, e al famoso pittore, decano, Ielmo Caras, nel 2018. Tutti residenti a Carbonia.

Da allora siamo diventati grandi amici e mi sento molto felice di accompagnare il lavoro straordinario di tutti, dove metto in risalto il lavoro fotografico di Antonella Habens, con caratteristiche notevoli dello stile Fine Art, o l’opera che nasce come arte pura, da vedere, osservato e compreso. Proprio così.

Si occupa di fotografia da diversi anni, avendo nel suo lungo curriculum, lavori sviluppati in diversi paesi del mondo, iniziati come fotografa di moda a Parigi, New-York e nella grande Milano

Nata a Iglesias, oggi vive a Carbonia, e si dedica a un lavoro eclettico all’interno dell’arte della fotografia, che avrò l’immenso piacere di presentarvi in ​​una piccola galleria su questo Blog. Ma prima voglio evidenziare un commento di un critico di arts, che definisce brillantemente l’eccezionale opera fotografica di Antonella Cannas Habens.

“Non importa quello che stai guardando ma quello che riesci a vedere”. Quest’aforisma di Henry David Thoreau ritengo sia sovrapponibile alle opere fotografiche di Antonella Cannas che con la sua macchina fotografica coglie scorci di vita che ad altri sfuggono probabilmente perchè pur vedendo con gli occhi non riescono ad andare oltre. Oltrepassare la soglia del percettibile per cogliere momenti di vita quotidiani che osservati attentamente possono dare varie interpretazioni e gli interpreti pur svolgendo le stesse azioni danno spazio a attimi differenti. Ma Antonella riesce ad immortalare proprio l’istante esatto, il secondo preciso che fornisce al’immagine quel significato che l’artista voleva trasmettere. L’animo poetico della Cannas sigilla nello scatto quello che la vita ci regala è da vita e interpretazioni nuove a immagini consuete. “Non si vede bene che col cuore. L’essenziale è invisibile agli occhi” ricordava la volpe al Piccolo Principe di Antoine de Saint-Exupéry, e nel’essenzialità delle opere di Antonella Cannas si trova quello che è visibile al cuore, quello che è nascosto ai più.

Claudio Moica

Galeria de obras de Antonella Cannas Habens.

Video de fotos da Mostra do grande Pintor Sardo, LORENZO CUCCURU.

SARDEGNA DOS NURAGHI: PATRIMÔNIO DA UMANIDADE.

24 out

GIORGIO CORSO. Um talentoso artista que transmuta as formas geométricas da arte Cubista, em leveza, movimentos e cores vibrantes.

20 out

Olá queridos amigos,

Hoje vamos conhecer um jovem talento, também do querido município de Cagliari capital da Sardenha. Vamos dar apenas algumas pinceladas sobre seu perfil pessoal, pois nosso interessa mesmo é saber da sua história como se iniciou na careira de artista Plástico, autodidata.

Seu nome e Giorgio Corso , professor, ex-funcionário de uma empresa de material de construção, ex-contador em Cagliari. A mãe é de Arbus, e o pai é um verdadeiro Cagliaritano.

A atração pelas obras e obras de grandes artistas. começou com a idade de 10 a 12. É um artista autodidata, mas estudou muito. e visitou os museus de metade da Europa. em suas exposições é possível admirar pinturas a óleo, que se alternam com acrílicos sobre tela, colagens e técnicas mistas.

Traduzo aqui um pequeno realise de uma critica de artes, COM O TÍTULO DETALHES PESSUAIS DE GIORGIO CORSO. Ela nos fala como foi a primeira mostra de arte de Giorgio Corso, para nosso deleite e admiração. (SIMONE MEREU ) é seu nome .

“Depois de ter adiado a inauguração duas vezes Giorgio Corso, no dia 2 de outubro superou todas as dúvidas e inaugurou, de forma virtual, a sua pessoal. Gosto de citar algumas frases da crítica de arte Simone Mereu lida no catálogo:

Os planos recortados e remontados da ancestralidade cubista estão de volta, os rascunhos compactos nos quais tocam pequenas pinceladas nas aonde os valores do claro-escuro se apóiam, para confirmar um reconhecimento imediato do estilo numa renovada linha de investigação .

Tal como em “Rosso Corso” também nesta exposição a pintura a óleo alterna com acrílicos sobre telas, colagens e técnicas mistas, libertando a comunicação do meio clássico, para aprofundar a experimentação de novos materiais ou a inserção de objetos …………… (Simone Mereu)

textos e post sugerido por SERGIO CARZZAG

Edição de texto em português : Lucinha Dettori

Editora responsável pelo Blog SSTM – Brasil

texto em Italiano.

Sergio Carozzag – DET-TAGLI personale di Giorgio corso.

Giorgio Corso è un insegnante, ma prima ancora è stato impiegato amministrativo in un’azienda di materiale per edilizia, ex contabile in un’ agenzia di software, ex dipendente in uno studio commercialista.E’ di Cagliari, la mamma è di Arbus ,il padre è cagliaritano verace . la attrazione per le opere e per il lavoro dei grandi artisti. è iniziata all’età di 10-12 .E’ un artista autodidatta, ma ha studiato moltissimo. e visitato i musei di mezza Europa. nelle sue mostre si possono ammirare pitture ad oli , che si alternano ad acrilici su tela , collages e tecniche miste .

  Dopo aver rimandato l’inaugurazione per due volte Giorgio Corso , il 2 ottobre ha superato tutti i dubbi ed ha inaugurato , in modo virtuale, la sua personale . Mi piace riportare alcune frasi del critico d’arte Simone Mereu lette sul catalogo : “Tornano i piani tagliati e ricomposti di ascendenza cubista , le stesure compatte su cui giocano piccole pennellate alle quali si affidano i valori chiaroscurali , a confermarci una riconoscibilità immediata di stile in un filone rinnovato di ricerca ……………………..Come in ” Rosso Corso ” anche in questa mostra alla pittura ad olio si alternano acrilici su tela , collages e tecniche miste , svincolando la comunicazione dal medium classico , per approfondire le sperimentazioni di nuovi materiali o l’inserimento di oggetti …………… ( Simone Mereu )Mais 3227Ielmo Cara, Rita Deidda DeRita e 25 outras pessoas15 comentários4 partilhasGostoComentarPartilhar

UM MIX DA ARTE CUBISTA DE GIORGIO CORSO .

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é 12191029_10206744994242456_3829561774498001003_n.jpg

UMA BELLISSIMA COLETÂNEA DE FOTOS DO RICO FOLCLORE DA ILHA DA SARDENHA : Massimo Cara Locci

19 out

SUGESTÃO DE VIDEO – SALVATORE MARRA

EDIÇAO : LUCINHA DETTORI – BRASILE

CERTO ( E L’HO SENTITO ) SI PUO DIRE CHE SONO SEMPRE LE SOLITE FOTO. MA DIETRO OGNI SCATTO C’E’ UN VOLTO, E DIETRO OGNI VOLTO UNA PERSONA CON LA SUA VITA, LE SUE IDEE, I SUOI AFFETTI. A ME PIACE QUESTO : RIPRENDERE LE PERSONE IN UN MOMENTO IN CUI POSSONO SENTIRSI PROTAGONISTI

CERTO (E EU OUVI) VOCÊ PODE DIZER QUE SÃO SEMPRE AS FOTOS USUAIS. MAS ATRÁS DE CADAFLASH HÁ UM ROSTO, E ATRÁS DE CADA ROSTO, UMA PESSOA COM SUA VIDA, SUAS IDEIAS, SEUS AFETOS. GOSTO DISSO: FOTOGRAFAR AS PESSOAS EM UM MOMENTO EM QUE ELAS PODEM SE SENTIR PROTAGONISTAS

As incrível cores fortes, intensas e brilhantes do pintor expressionista LORENZO CUCCURU, em sua mostra : “Imagens Culturais da Sardenha”

13 out

Post sugerido por Sergio Carozza – webmaster – Carbonia
Mostra de Pinturas di LORENZO CUCCURU
Edição Blog. SSTM – Brasil
Editor – Lucinha Dettori

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é 121160486_10220866180301833_4600224169801757413_n.jpg
                       "DE LORENZO PARA LORENZO"

Caros amigos,
Hoje quero lhes apresentar, mais um grande pintor, do qual , relato um pouco da história em português.

“Nasci em Pozzomaggiore, pequena cidade da província de Sassari, mas moro em Carbonia há muito tempo. Tenho muitas paixões, como todos acreditam, mas duas são superiores às outras: a paixão pela pintura e a paixão e o amor que amarram-me à terra onde tive a sorte de ter nascido, Sardenha. Lembro-me, e a minha mãe continua a dizer-me, que desde muito jovem desenhava e usava o lápis em todas as superfícies onde se podiam traçar sinais. Lápis, canetas, nanquim puros e diluídos como têm sido e minhas ferramentas de cor.

Como um autodidata, comecei a experimentar, tentando e tentando novamente para obter os melhores resultados. Os próximos três foram repletos de exposições, concursos locais e nacionais que também me proporcionaram as primeiras e grandes satisfações. O trabalho dos anos seguintes afastou-me de casa e de Carbonia, levando-me a Sardenha especialmente nas zonas onde a nossa loja nossas tradições, nossa cultura tiveram e ainda têm uma grande importância. O trabalho e a distância de casa não me permitiram pintar mas tive oportunidade de conhecer, estudar, recolher e pesquisar.

Nesse período nasceram escritos e outros escritos que, ao regressar a casa no final dos anos oitenta, permitiram-me retomar a pintura e os meus cavalos, as minhas ardias, as minhas fanstáticas figuras da tradição popular da Sardenha que colecionei no volume Contos de de Doghile e que trouxe as escolas para que essa enorme bagagem cultural não se perdesse e fosse passada para as gerações futuras.

Eles também me permitiram pintar 50 tabelas sobre os ritos do carnaval da Sardenha que foram inseridos no livro Caresegare – Carnevali di Sardegna que expus em muitos países e tive a oportunidade de voar no Japão. O prefácio do livro me foi dado por Dolores Turchi , estudioso da cultura da Sardenha muito motivado e autor de vários livros sobre a Sardenha, que me definiu como um pintor pesquisador.

https://www.facebook.com/nonno.sergio.7/videos/10220871668679039