Itália paga até R$ 75 ml a quem se mudar para ilha da Sardenha.

1 set

Uma das cidades pode ser está…

SORGONO (Sardegna) com apenas 1.673 abitantes, situata a 688 metros do nível do ma, da  Provincia di Nuoro, com uma superfice de 56,20 kmq.

A charmosa ilha é a segunda maior do Mediterrâneo, e suas praias de água azul-turquesa somadas à culinária italiana atraem milhares de turistas no verão europeu -grande parte deles, aliás, vinha da Rússia, alvo de sanções do Ocidente desde a invasão da Ucrânia. A ilha também abriga mansões de alguns poderosos; entre eles, o ex-primeiro-ministro do país Silvio Berlusconi.

Quando o céu se fecha e o calor vai embora, porém, a região se esvazia e fica quase isolada. A Sardenha tem cerca de 1,6 milhão de habitantes, apesar de sua área de mais de 24 mil quilômetros quadrados (o equivalente a quase três vezes a região metropolitana de São Paulo.

A ilha é uma das áreas com mais pessoas centenárias no mundo, segundo o livro dos recordes. Os jovens da região, por outro lado, buscam emprego em outras áreas italianas ou no exterior, o que contribui para a diminuição e para o envelhecimento da população local. Para reverter esse cenário, o governo reservou EUR 45 milhões (R$ 227 milhões) para subsidiar a chegada de novos moradores. A informação é da emissora Euronews.

O que você precisa para se mudar

Mas quando a esmola é demais, o santo desconfia (e pode desconfiar). Para ser um dos beneficiados no programa, o candidato deverá se mudar para um dos municípios da Sardenha com população inferior a 3.000 pessoas. A quantia recebida —não, necessariamente, de EUR 15 mil— deverá ser usada para comprar ou reformar uma casa, e a subvenção não pode exceder metade do gasto total.

Além disso, o beneficiário precisará morar na nova propriedade em tempo integral e deve se registrar como residente permanente em até 18 meses após a chegada à região -portanto, esqueça a ideia de aderir ao programa no verão e sair logo no inverno.

O presidente da Sardenha, Christian Solinas, pretende que o programa incentive estrangeiros a se mudarem para a ilha e estimule aqueles moradores locais a continuarem na região.

“Graças a essas contribuições, a Sardenha se torna um terreno fértil para aqueles que se mudam para lá ou decidem construir uma família”, disse. “Não pode haver crescimento sem uma real valorização do interior e das zonas mais desfavorecidas. Então, criamos as condições para que os jovens decidam ficar e desenvolvam a economia dos territórios mais frágeis.”

Padrões semelhantes são frequentes em várias outras cidades da Itália. Nos últimos anos, proprietários e governos de cidades pequenas do país começaram a anunciar casas por apenas 1 euro -as propriedades, na maioria das vezes, foram herdadas de idosos que morreram sem ter família por perto.

A população da Itália está envelhecendo. No ano passado, 24% da população do país tinha mais de 65 anos, segundo o Banco Mundial. A média de idade hoje na nação europeia é de 46 anos —em 2050, projeta-se que será 51.

Lucinha Dettori é parte da ilha que atravessou o mar.

16 set

Família CAPPAI

terça-feira, 3 de abril de 2018

Lucinha Dettori é parte da ilha que atravessou o mar.

Lucinha Dettori criou filhos e participa da educação dos netos, plantou com certeza muitas árvores e agora lança finalmente seu tão esperado livro. Completa um ciclo de evolução na descoberta mais fantástica de sua vida, que está em comunhão com todos os “oriundis” que fizeram e fazem deste país uma terra melhor para se viver. É um evento memorável e que comemoramos com alegria e muita simpatia. Lucinha é uma descendente engajada na rara imigração sarda para o Brasil. Sua vida é uma reverência aos seus e aos nossos ancestrais que atravessaram o grande mar, doaram as suas vidas em terras distantes, mas que nunca esqueceram a paixão pela “isola paradiso”. Tem a genética da bravura de Shardana e da determinação milenar do “popolo sardo”, que alça voo bem acima de Gernnagentu para contemplar a beleza da criação…Além do seu DNA que alimenta os sonhos do reencontro de suas raízes no distante mediterrâneo, traz na voz e no olhar a doçura e a firmeza da poesia sarda. É incansável pesquisadora de nossas raízes de imigrantes, vibrando a cada descoberta e compartilhações no blog “Sardegna sa terra mia”. Desperta e alimenta assim a comunhão dos poucos descendentes sardos que ainda permanecem em solo brasileiro, sonhando o dia do retorno.

Fragmentos em comum…

“Acaso espera o tempo?! Farei retornar a esta terra jamais experimentada? Que registros há neste solo, que me atrai como o imã a limalha, E quão grande é a distância que nos separa dos sonhos. Oh! Deus, que mosaico virou a vida, quando as raízes afloraram, Quando poucas respostas vieram pela insistência de seu servo, Rasgando a terra que parecia firme, convicta, agora fértil de indagações.

Sempre gostei do mar, de navegar, da pesca e da brisa, Que diria as palmeiras dançando ao vento, no frescor arrancado pelo olhar, Do cantar das águas do rio, que desaguava no espírito irrequieto, E o lavrar da madeira metamorfoseando-se em “mamutones”, Horas martelando a madeira, criando vida. E lá estava ela, a ilha que concentrava no coração, do esquelético ser, Agora preenchido pela descoberta de que não era um ser isolado, Este minúsculo ser perdido no nada, na complexidade do nexo, Mas sim era a ilha que habitava no mais profundo de minhas memórias, E assim, nas entranhas do DNA, dos Memes, no borbulhar dos pensamentos, Está a ancestralidade sarda que atravessou o mar…”

Parabéns Lucinha. Desejo sucesso no lançamento de seu livro e grandes emoções na visita a ilha. Quando chegares em Cagliari, reza para Nossa Senhora de Bonária, a protetora dos navegantes. Assim como nossos ancestrais que atravessaram o grande mar e possibilitou nossas existências, como descendentes à procura de nossas raízes, nos tornamos igualmente navegantes. Que os bons ventos guiem seus caminhos. A”kentanos mia sorella…

Obrigada querido fratello por sua grande consideraçao.

Sou muito orgulhosa de tê-lo como amigo e irmão, grande intelectual, e grande conhecedor da historia da ilha de nossos antepassados.

PRIMEIRA EDIÇÃO

SEGUNDA EDIÇAO

TERCEIRA E ULTIMA EDIÇÃO MELHORADA DA HISTORIA, REESCRITA COM AJUDA DE PARENTES SARDOS ENCONTRADOS RECENTEMENTE.

Aos 76 anos, morre cantor e compositor italiano Franco Battiato

18 maio

“Aos 76 anos, morre cantor e compositor italiano Franco Battiato” https://www.terra.com.br/amp/diversao/arte-e-cultura/aos-76-anos-morre-cantor-e-compositor-italiano-franco-battiato,baf64f237497a8cc735474c2a48a61b5x8v2vlnt.html

Imagem

ORGOSOLO “OS MURAIS” – A LUTA – E 0S MANIFESTOS.

17 dez

CONVITE ESPECIAL DO BLOG SARDEGNA TERRA MIA – BRASIL – EM PARCERIA COM O PROJETO ‘ DISTANTES MAS UNIDOS. CASA SARDEGNA. com a colaboração do Círculo ACSIT de Florença.

Francesco Del Casino (Siena, 15 de maio de 1944) é um pintor italiano.

Iniciou sua carreira pictórica em 1962 com uma produção ligada ao estilo de Renato Guttuso, seguida de uma fase influenciada pela arte de Pablo Picasso. Em 1964 mudou-se para a Sardenha, para Orgosolo, onde iniciou o seu trabalho como muralista. Cerca de 90% dos murais em Orgosolo são obra sua.

Caros amigos,

Domingo, 27 de dezembro
às 14h00 Itália e França.
Xangai 21h – Tóquio 22h
América do Sul 10:00 – América do Norte 08:00
Brisbane às 23h

O evento será transmitido ao vivo no facebook e no site “Distantes mas Unidos. Casa da Sardenha

Uma saudação de Feliz Natal para vocês e suas famílias
Elio Turis.

———————————————————————————————- ————————————————————————–

TRADUÇÃO DO TEXTO DO CARTAZ

Domingo dia 27 de dezembro, estaremos conectados diretamente com OS CIRCOLOS SARDOS NO MUNDO sobe a plataforma Zoon e no Facebook com o Mestre Francisco Del Casino que nos contará a sua experiência em Orgosolo ( Orgosolo é uma comuna italiana da região da Sardenha, província de Nuoro, com cerca de 4.540 habitantes.) a partir dos anos 60. Um período de grande movimentação, que entre outras coisas, gerou aquele movimento muralista que agora caracteriza o ambiente urbano de Orgosolo.

A IMPORTANCIA DAS SOBRANCELHAS NA MOLDURA DO ROSTO…

27 nov

Olá queridos amigos,

hoje quero trazer um assunto que, sempre me chama muito atenção em um rosto de uma pessoa: AS SOBRANCELHAS.

Sempre tive muita vontade de ter uma sobrancelha bem alinhada, grossas e bonitas aquelas das mulheres da Sardenha. Esta era uma das partes que sempre quis modificar e nunca tinha coragem. Isto devido tantos desastre que vi acontecer, com pessoas que colocava o seu rosto a mercê de um mal profissional.

Até que um dia conhece esta incrível profissional de carreira, que quero apresentar para vocês. Seu nome e

PROFESSORA RUBIA LOURES.

Sua primeira opção foi cursar moda e publicidade. Mas logo percebeu que não era muito por ai que gostaria trilhar o seu caminho profissional, mas, até bastante correlato, investindo de corpo e alma, além de muitos recursos financeiros em pesquisas, cursos de especializações e materiais de primeira linha, da mais alta tecnologia de ponta na carreira de maquiagem, e isto lá se vão mais de 10 anos de experiência e sucesso.

Mas Rubia, queria se especializar em um detalhe importante do rosto, As famosas sobrancelhas, que até então deixava muito a desejar, e muitas insatisfações à clientela que buscavam um novo visual para valorizar o olhar e o semblante num todo.

A partir desta observação, como uma boa profissional e seu faro para o empreendedorismo, Rubia, dedica-se de corpo e paixão, para pesquisa na área de micropigmentação de sobrancelhas onde encontrou um universo desafiador em busca da naturalidade dos fios, colocando em prática seu dom para design e vissagismo.

Dai então, começa a participar de vários cursos nacionais e internacionais descobrindo variadas técnicas até a criação da Fios Orgânicos, experiência impar de grande sucesso no mercado de micropigmentação da atualidade. se tornando uma das mais capacitadas e requisitadas professora e palestrando da área .

ATES DO PROCEDIMENTO……

APÓS PROCEDIMENTO

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é 128275630_804036763710784_983967637737175810_n.jpg

contatos no whatsApp pra procedimentos e cursos com a Sta. SIL

Nenhuma descrição disponível.