Arquivo | julho, 2010

Brasileiros no exterior poderão ser segurados facultativos da Previdência

23 jul

Brasileiros no Exterior   
sexta-feira – 23/07/2010
Por: Lucinha Dettori

Os mais de dois milhões de brasileiros que vivem em outros países poderão passar a contar com o direito de se filiar, como segurados facultativos, à Previdência Social. A possibilidade está prevista no Projeto de Lei do Senado 86/10, de autoria do senador Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC), que está tramitando na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).

O projeto, que ainda está sendo analisado por seu relator na comissão, senador José Agripino (DEM-RN), modifica a Lei 8212/91, para garantir a possibilidade de filiação à Previdência de “brasileiros emigrados ou residentes permanentes em outros países”. Atualmente, são admitidos como segurados facultativos os maiores de 14 anos, desde que não enquadrados nos casos de segurados obrigatórios da Previdência.

Em defesa de seu projeto, que ainda vai tramitar na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), em decisão terminativa, Mesquita lembra que os brasileiros emigrados ou residentes no exterior enviam ao país cerca de US$ 6,5 bilhões por ano, segundo informações do Fundo Monetário Internacional relativas a 2005.

O senador observa ainda que a situação jurídica dos brasileiros no exterior é bastante diversificada. Existem os que possuem visto de residência temporário e os que contam com visto de residência permanente e permissão para o trabalho. Mas “grande parte” dos emigrados, lembra Mesquita, “vive ilegalmente, sofrendo as consequências dessa condição”. (Agência Senado)

Video – Dormideiras

17 jul

A história da Sardegna

17 jul

Isolada por séculos e considerada a segunda ilha do Mediterrâneo, a Sardegna se tornou uma região extremamente ligada a suas tradições milenares devido sua distância em relação ao continente.

A falta de contato com os povos costeiros da Itália fez com que a ilha se desenvolvesse de maneira autônoma. O povo sardo não possui relato histórico de desbravamentos por mar apesar da sua localização estratégica. Seu povo sempre foi pacato e se constituiu basicamente de pastores e agricultores.

Muitos povos, como os Fenícios, Romanos, Vândalos, Árabes, Genoveses, Pisanos e Espanhóis, invadiram a Sardegna. Seus habitantes, em busca de refúgio, saíram da costa e aventuraram pelo interior montanhoso e de difícil acesso da ilha.

Sua forte ligação com seus costumes e tradições populares é mais vivo do que em muitas outras culturas. Ainda é possível notar o uso de antigos dialetos em algumas regiões. A herança de seus ancestrais pastores e agricultores se manifesta através do artesanato tradicional de tapetes, cestos, cerâmicas, tecidos e bordados.

As línguas mais faladas na Sardenha são o italiano e o sardo, uma língua românica com influências do fenício, do etrusco e doutras línguas do oriente próximo. Embora esteja em decréscimo de falantes, principalmente os jovens de Cagliari, para o italiano, devido a razões oficiais, ainda é muito falada.

Nas regiões nortenhas de Gallura e Sassari, a língua falada é não o sardo mas uma variação do corso. Na ilha de São Pedro (San Pietro), é falado o dialecto linguriano de Génova. Em Alghero, ao norte, é falado também um dialecto medieval do catalão (o nome desta cidade, em catalão, é L’Alguer), como relembrando-nos que a ilha foi uma colónia catalã no passado.

A ilha sarda é composta de várias províncias. Sua extensão e composta pelas por:

Cagliari, Casteddu (cerca de 160 000 habitantes)
Sassari, Sàssari em Sassarês e Tathari em língua sarda (cerca de 130 000 habitantes)
Nuoro, Nùgoro
Oristano, Aristanis
Alghero, L’Alguer em Catalão
Arzachena, Alzachena
Bitti, Bithi
Bonorva, Bonolva
Bosa, Bosa
Cabras, Crabas
Carbonia, Crabonia
Castelsardo, Casteddu Saldu
Cuglieri, Culiri
Dorgali, Durgale
Gavoi, Gaboi
Iglesias, Igresias
La Maddalena, A Maddalena
Lanusei, Lanuse
Lodè, Bidda manna
Macomer, Maccumele
Mogoro, Mogoru
Olbia, Terranoa
Oliena, Uliana
Orune, Orune
Ozieri, Othieri
Perfugas, Peifuas
Ploaghe, Piaghe
Porto Torres, Poltu Torra
Posada, Pasata
Pozzomaggiore, Puthumajore
Quartu Sant’Elena, Quartu Santa Aleni
Sanluri, Seddori
San Teodoro, Santu Tiadoru
Sant’Antioco, Sant’Antiogu
San Pietro, Santu Predu
Selargius, Cedraxius
Siniscola, Thiniscole
Tempio Pausania, Tempiu
Teulada, Teulada
Villacidro, Biddexirdu
Villaputzu, Biddeputzi

Sua moeda oficial é o Euro, mas os sardos ainda se referem, não oficialmente, ao su Francu (ou “su Pidzu”); 1 francu=1,000 Lira Italiana.