“MINHA FAMÍLIA SARDA” EM HISTÓRIA DE EMIGRANTES

16 maio


TIAGO MAIA 

 

Prezados amigos,
                  Na série HISTORIA DE EMIGRANTES SARDOS, apresento hoje a saga da família de um grande amigo TIAGO MAIA, descendente de Sardos, que infelizmente vive fora do Brasil, mas que nunca perdeu o contato com suas raízes Sardas, em especial as deixadas aqui no Brasil. 
Tiago nos presenteia em breve resumo, a linda historia da sua família a qual tenho a satisfação de publicar. Espero  que  muitos de vocês possam quem sabe, até encontra algum parente entre as pessoas aqui apresentadas. 
Na oportunidade, quero fazer o meu agradecimento publico pela bem  sucedida pesquisa genealogia de meus antepassados  Sardos feita com tanta dedicação por Tiago Maia,  fato este que  reputo como uma divida impagável da minha parte.
Obrigada querido amigo, sempre serei grata a você por este lindo presente documental de toda minha família Sarda, que  você soube mensurar  tão bem o quanto significava este desejo  acalentado por tantos anos em meu coração.
Desejo que apreciem como eu aprecie  o excelente conteúdo histórico  e estatístico deste texto feito com tanto carinho , por   TIAGO MAIA 
EDIÇÃO SSTM em Português
Moderação:  LUCIHA DETTORI 
                     Casamento de Dois Sardos no Brasil
Dizem os economistas: “Tudo que é raro, é caro.” Caro porque vale muito. Dos descendentes de italianos no Brasil, nós (descendentes de sardos) somos os mais raros. De acordo com o IBGE, os sardos foram os que menos vieram para o Brasil. Estima-se que apenas um pouco mais de 6 mil sardos imigraram para o Brasil; ou seja, 0.5% dos imigrantes italianos.
Emigração italiana para o Brasil, segundo as regiões
de procedência – período 1876/1920
Regiões de procedência
Emigrantes
Vêneto
365.710
29.4%
Campânia
166.080
13.4%
Calábria
113.155
9.1%
Lombardia
105.973
8.5%
Abruzzi/Molizi
93.020
7.5%
Toscana
81.056
6.5%
Emília Romana
59.877
4.8%
Brasilicata
52.888
4.3%
Sicília
44.390
3.6%
Piemonte
40.336
3.2%
Puglia
34.833
2.8%
Marche
25.074
2.0%
Lázio
15.982
1.3%
Úmbria
11.818
1.0%
Ligúria
9.328
0.8%
Sardenha
6.113
0.5%
Total
1.243.633
100.0%
 Fonte:Brasil 500 anos de povoamento. IBGE. Rio de Janeiro. 2000[1]
Assim sendo, me sinto duplamente abençoado porque sou descendente não só de uma família sarda que imigrou para o Brasil, mas DUAS! Da mesma forma que quase todos os imigrantes que foram a Minas Gerais, os meus primeiros ancestrais sardos (Salvatore MASALA e Maria Antonia CHERCHI) desembarcaram no porto do Rio de Janeiro em 18 de junho de 1896, provinientes do porto de Genova no navio Montevideu. Um dia depois, em 19 de junho de 1896, a família MASALA dá entrada na Hospedaria de Imigrantes Horta Barbosa em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Aliás, talvez seja por isso que poucos sardos imigraram para o Brasil. Imagine: nossos ancestrais saíram do campo viajando, provavelmente, até Cagliari ou Sassari onde embarcaram rumo a Genova. Em Genova, embarcaram outro navio indo para o Rio de Janeiro. Chegando no Rio, pegaram um trem até a hospedaria  de imigrantes onde por dias esperaram contratantes, apelidados de “gato” que os remanejavam a seu destino final.[2] Penso no cansaço, fome, e desconforto que passaram a fim de dar uma vida melhor a nós, seus descendentes.
                                                              MINHA PRIMEIRA FAMÍLIA SARDA
Salvatore MASALA e Maria Antonia CHERCHI vieram da cidade de Abbasanta, da província Oristano. “Abba” é a palavra sarda para “água”. Com eles, vieram 5 filhos entre as idades de 13 a 1 aninho, sendo um deles minha trisavó Maria Grazia MASALA, de apenas 9 anos de idade. Minha mãe, Lívia, contara-me depoimentos de que Maria Grazia era loira, dos olhos azuis. Oriunda da Sardenha, eu sempre duvidei dessa afirmação, imaginando que os sardos eram todos de cabelos e olhos escuros, até que consegui uma foto de seu irmão, Giovanni Antonio, três anos mais jovem que ela.
Infelizmente, ainda não temos uma foto da trisavó M. Grazia MASALA, mas temos essa foto de seu irmão, Giovanni Antonio.
sempre imaginei que vieram ao Brasil sem nada, ao léu do destino. Mas a relação da hospedaria mostra que não: dos quase 900 imigrantes naquele navio, apenas uns 100 vieram sem contrato de trabalho.[3] Salvatore MASALA como vários outros naquele navio (inclusive o ancestral do Dr. Jaime SANNA do Circolo Sardo-MG que estava no mesmo navio) vieram contratados para exploração de ouro na Usina Wigg que fica em Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto.

Final do séc. XIX, em 1887, foi inaugurada a Estação Ferroviária de Miguel Burnier, ponto de encontro da 1ª Estrada de Ferro do Brasil, a Central do Brasil.

http://www.projetoestacao.blogspot.com

                                                                  MINHA SEGUNDA FAMÍLIA SARDA
Um ano depois, em setembro de 1897, meu trisavô, Silvio PUXEDDU, veio de Atzara, Nuoro ao Brasil. Os Puxeddu eram originalmente de Cagliari, mas a trabalho, o pai do Silvio se mudou a Atzara.

Silvio PUXEDDU. O “x”, na língua sarda faz o mesmo som que o “g” da língua

portuguesa. Por isso, no Brasil, o sobrenome foi alterado para Pugedo, Puggedo, ou Pujedo. Como a língua italiana não possui esse som, o sobrenome foi alterado para PUSCEDDU.


Silvio veio com 17 anos de idade, com sua irmã Brigida, sua mãe Sebastiana FLORE, seu padastro Marco Antonio MEREU, e dois meio irmãos Gaetano e Egidio MEREU.

Egidio Mereu, recebeu o nome do pai de Silvio.Tanto Silvio quanto sua irmã Brigida também deram o nome de “Egidio” a seus filhos.

O destino levou a família Puxeddu-Flore-Mereu a Usina Wigg onde conheceram vários sardos, entre eles a família SANNA do Dr Jaime, e a família da minha trisavó: os MASALA. A partir dali, começa-se uma grande amizade que mais tarde se torna um fundamento para um grande casamento entre dois sardos: Silvio Puxeddu e Maria Grazia Masala.
Dessa união, nasceu em Pará de Minas minha querida bisavó Alzira Puggedo, a única bisavó que conheci. Tendo 100% sangue sardo, minha bisavó viveu mais de 90 anos. Aliás, os sardos são conhecidos mundialmente por serem o povo com maior porcentagem de pessoas com mais de 100 anos de idade.

Alzira Puggedo (PUXEDDU) veio a se casar com alguém como ela, um filho de imigrante italiano, porém da Região do Vêneto.


Anúncios

92 Respostas to ““MINHA FAMÍLIA SARDA” EM HISTÓRIA DE EMIGRANTES”

  1. Elma Soares 16 de maio de 2011 às 12:28 PM #

    Olá Tiago, que história linda! Apesar de não ser descendente de sardos gerei 3 filhos queridos. Parabéns, beijos.

    • lucinhadettori 16 de maio de 2011 às 1:08 PM #

      Muito linda, muito linda mesmoooooooo
      Obrigada amiga.
      Beijos

  2. Elma Soares 16 de maio de 2011 às 12:31 PM #

    Lucinha, você não existe!!!! Você é nota 1000, precisamos de pessoas assim no Circolo Sardo. Bacione.

    • lucinhadettori 16 de maio de 2011 às 1:07 PM #

      Oi Elma –
      Fico muito feliz com o seu comentário, apenhei até pra colocar estas fotos UFA.! Veja a incrível semelhança do Egidio Meure com o Heitor,,,
      Obrigada amiga de oração. Tiago é um gande amigo, so pode ser descendetes do Mereus hahah gente finissima…
      Beijos Lucinha

      • josué mendews neto 15 de novembro de 2015 às 10:55 PM #

        me liga minha familia e da sardenha( 031)989360304

        • lucinhadettori 23 de outubro de 2016 às 1:25 PM #

          oi josue
          desculpa, não tinha visto que havia enviado o teu telefone vou anotar.
          voce tem whatsap?

  3. Bruno Benetti 16 de maio de 2011 às 2:28 PM #

    E depois? Vai ter uma continuação dessa bela saga familiar?
    Parabens Lucinha!

    • lucinhadettori 16 de maio de 2011 às 8:13 PM #

      Oi fofinha vai si, vou contar a minha saga da Familia Dettori/Scano rsrs
      Abraço.

    • lucinhadettori 18 de maio de 2011 às 10:31 AM #

      Ciao Bruno,
      Sim vai sim, a minha propria haha
      Grazie per la tua ontinua presenza
      Bacio amigo

  4. Heitor Mereu 16 de maio de 2011 às 7:08 PM #

    Lucinha Dettori, como fiquei feliz em ver a foto do nosso patriarca Mereu. Obrigada pela deferência. Um grande abraço.

    • lucinhadettori 16 de maio de 2011 às 8:12 PM #

      Heitor como vai?
      Foi un grande prazer falar da familia do Tiago e em contrapartida da sua familia.
      Fiquei impressionada de ver a semelhança sua com o seu patriarca, muito lindo… amei!
      Abraços – Ficarei muito feliz se continuar lendo as noticias no nosso Blog Sardo ok?
      Lucinha

  5. Tiago Maia 17 de maio de 2011 às 6:43 AM #

    Elma, lembro q vc comentou q conheceu a Elvira que é irmã dessa minha bisavó Alzira. Minha mãe me contou q minha vó Vanda passou muito tempo com os Mereus quando criança. Os Mereus sempre foram considerados familia mesmo, e assim eu os considero até hoje. Espero um dia conhece-los pessoalmente.

    • joao 19 de outubro de 2011 às 4:25 PM #

      Oi Tiago,aqui é o seu tio,irmão de sua vovó vanda.gostaria que voce colocasse depois alguma coisa do meu outro lado, os Zoccarattos.abcs.

      • lucinhadettori 19 de outubro de 2011 às 8:16 PM #

        Ciao João,
        Obrigada pela visita. vou enviar o seu e-mail para o Tiago.
        Abraços
        Lucinha

        • Tiago Maia 20 de outubro de 2011 às 12:28 PM #

          Olá Tio João. Vou preparar e mandar um pouco da historia dos Zoccarato que ja consegui desvendar. Semana que vem, vou ter alguns dias de férias para fazer isso. Abracao. Depois eu gostaria de te ligar, pois tenho algumas perguntas sobre minha vó Vanda. Ela faleceu quando eu tinha 13 anos, e quero saber mais sobre ela.

  6. lina tolu 12 de março de 2012 às 5:27 PM #

    complimenti Tiago per il bel lavoro che hai fatto ,ho visto l’albero genealogico,sai che mia nonna Anna Maria Meloni era cugina di Silvio e Brigida Pusceddu!!!!!

  7. larissa 21 de agosto de 2012 às 7:48 PM #

    OI, eu sou da família Masala, gostei muito da história da grande família que estou carregando diante a meu nome

    • lucinhadettori 18 de outubro de 2012 às 9:41 AM #

      Obrigada Larisa,
      Parabéns pela linda familia Masala.
      Abraço afetuoso.
      Lucinha

      • marcio jose coelho de miranda 9 de abril de 2013 às 7:49 PM #

        Boa noite Lucinha,eu errei,na verdade Silvio Pugedo foi meu Bisavo.
        Vou aguardar o email do Tiago Maia
        Um abraço
        Marcio

        • lucinhadettori 10 de abril de 2013 às 7:56 PM #

          Ola Marcio,
          responde para voce com copia para Tiago, ele é muito atarefado, mas nunc deixa de atender os parentes queridos.
          Abraços
          Lucinha

  8. Allex e Inez 9 de novembro de 2012 às 4:49 PM #

    Olá…coincidentemente ao acaso por um lapso de navegação nesta internet , satisfiz meu grande desejo e interesse em saber e conhecer meus ancestrais; pois bem sou tio do Tiago Maia , que por sinal estou com muitas saudades, queria parabenizar a iniciativa e dedicação a pessoa de “lucinhadettori ” e deixar um grande e cordial abraço a todos estensivo aos demais descedentes italianos , e aproveitar essa oportunidade para buscar e identificar eventuais parentesco relativo a ramificações e grau de parentesco em relação ao segundo matrimonio do meu bisavô materno Silvio Puggedo, bem como a dispeito da origem dos familiares “Zocrattos” (?)e suas descendencia.

    • lucinhadettori 9 de novembro de 2012 às 9:34 PM #

      Ola Inêz – benvinda ao nosso blog.
      Todos da familia de Tiago Maia são bem vindos e igualmente muito queridos por mim.
      Bem em belo horizonte tenho uma familia Mereu que me parece são parentes do Silvio Puggedo.
      Vou repassar o seu e-mail para Elma Soares esposa de Heitor Mereu eles tem algum parentesco
      com o Silvio Puggedo, não sei te dizer qual.
      Depois te dico o que Elma me disse.
      Grande Abraço
      Lucinha

    • marcio jose coelho de miranda 9 de abril de 2013 às 7:32 PM #

      Allex/Ines,
      Boa noite, sou bisneto de Sivio Pugeto e neto de Maria Antonia Pugedo
      Moro em Belo Horizonte,meu nome e Marcio Jose Coelho de Miranda

      • lucinhadettori 19 de março de 2014 às 7:59 AM #

        Ola Márcio,
        Grande entender da famiglia PUGETO, faça contato con ele ( tiagosamaia@gmail.com )é uma grande pessoa e ficara feliz com mais unm parente.
        Grande abraço e grato pela visita ao Blog. Me dê noticias
        Saluto ou A SI BIRI – ou até a vista
        Lucinha Dettori

  9. Neusa Alves da Silva 2 de janeiro de 2013 às 10:27 AM #

    Olá Lucinha,
    Te conheço por nome e fotos.Trabalho com o Sr.Sanna do Circolo de SCSul,vou mostrar p/ele o blog e depois te mando notícias.

    • lucinhadettori 23 de fevereiro de 2013 às 8:21 PM #

      Oi Neusa
      Fico muito grata pela atenção .
      Abraços a todos
      Lucinha

  10. Adriana Loche 23 de fevereiro de 2013 às 1:03 PM #

    Olá Tiago

    Gostei muito de ler o seu relato, epseicalmente porque eu também descdendo de sardos.

    Como os seus antepassados, os meus chegaram ao Brasil, a bordo do navio Rio, desembarcando no Rio de Janeiro em 01/08/1896. Meus bisavós, Michele Locci (de Quartu Sant’Elena) e Carmelina Carta (de Lunamatrona), assim como o meu tio-avô Agostino Locci (filho do primeiro casamento de Michele, nascido em Quartu Sant’Elena), deram entrada na Hospedaria Horta Barbosa em 02/08/1896) e foram contratados pelo fiscal do 5o. Distrito, para a região de Ouro Fino, segundo consta do registro de matrícula da hospedaria. Acabaram se instalando em Jacutinga-MG, onde, no dia 01/09/1896, meu avô nasceu, segundo seu registro de batismo realizado em 04 de outubro, na Igreja de Santo Antônio. Ele teve um outro irmão, Luciano, nascido também em Jacutinga, mas não sabemos se este teve ou não descendentes, pois o contato foi perdido.

    Meu avô (José Locci) casou-se com uma descendente de italianos. Seu pai era de Oderzo-Treviso (Veneto) e sua mãe de Torre de Busi-Bergamo (Lombardia). Infelizmente não conheci meu avô, nem meus bisavós, e só pude “reconstruir” a história de minha família a partir de documentos (e não de histórias, pois, por alguma razão, a família não as compartilhava). A única coisa que sei é que de meus ascendentes sardos é que o irmão de meu avô, Agostino Locci (nascido na Sardegna) casou-se com Angelina Pecci, também sarda (de Muravera), e originou uma grande família, que fixou residência em Mirandópolis-SP. Outtra coisa que sei é que era uma família muito pobre, que buscava a subsistência nas lavouras de café. Meus dois bisavós morreram em fazendas de café, na região de Araçatuba. Minha bisavó, Carmelina, morreu em 1832, na fazenda Santa Alexia, em Araçatuba, e meu bisavô, Michele, em 1838, na Pau d’Alho, em Bento de Abreu.

    Pelas pesquisas que fiz, de minha família, constatei que Michele e Carmelina foram os únicos a imigrarem para o Brasil. Seus irmãos permaneceram na Sardegna (nas comuni de Quartu Sant’Elena e San Gavino Monreale). Tenho vários amigos italianos que me dizem que tenho personalidade sarda. Talvez seja uma herança genética.

    Obrigada por compartilhar a sua história 🙂

    • lucinhadettori 23 de fevereiro de 2013 às 8:20 PM #

      Oi Adriana
      Obrigada pela visita já encaminhei sei e-mal para o Tiago
      Ele é muito ocupado, mas sei que vai fazer contanto – aguarde
      Abraços
      Lucinha

    • Tiago Sá Maia 24 de fevereiro de 2013 às 12:59 PM #

      Adriana, por favor me manda um email. Gostaria de te enviar alguns documentos que achei da sua familia. Meu email e’: tiagosamaia@gmail.com
      Grato,
      Tiago

    • lucinhadettori 26 de fevereiro de 2013 às 8:15 AM #

      Oi Adriana,
      Tiago me enviou um e-mail vai fazer contato com você – tomei a liberdade de fornecer o seu e-nail a ele.
      veja bem, amei a sua história e gostaria de publicar no Blog. Se quiser rescreve-la com mais detalhes e fotos se tiver fica a vontade, ficará muito lindo.
      Desta forma também na Sardegna, onde o blog é bastante visitado, poderão ler a sua hisotria.Vou tentar traduzir para o italiano ok?
      Abraços
      A Si Biri.
      Lucinha

      • Adriana Loche 15 de maio de 2014 às 9:03 PM #

        Oi Lucinha,

        Puxa, só hoje, passado mais de um ano, é que vi sua mensagem (eu não devo ter marcado o aviso de comentários). O Tiago entrou em contato comigo naquela época, e inclusive me enviou documentos de meus antepassados. Obrigada por ter nos colocado em contato.

        Tem uma história que cerca a família, que meu avô teria nascido no navio. No entanto, essa informação não é respaldada pelos documentos. Seja no registro da hospedaria Horta Barbosa ou de de entrada no porto do Rio de Janeiro (em 01/08/1986), não consta o seu nome. O primeiro documento que localizamos de meu avô foi o seu registro de batismo, em Jacutinga-MG, aos 04/10/1896, onde consta que ele nasceu em 01/09/1896. No entanto, ele comemorava o aniversário em 11 de agosto.

        Ou seja, meu avô quase nasceu no navio. Como diz o dito: “quem conta um conto aumenta um ponto”… Mas, foi graças a essa lenda familiar que conseguimos encontrar o desembarque de seus pais no Rio de Janeiro, pois buscávamos uma data que se aproximasse a de seu nascimento.

        Eu adoraria contar mais detalhes sobre a minha família e ficaria muito lisonjeada de ter a história contada no seu blog (aliás, uma vez, quando ainda buscava informações sobre meus bisavós, escrevi para “Il Messaggero Sardo” que também queria publicar a minha história). Mas o que escrevi anteriormente é tudo o que sei. Aliás, a história que contei foi “reconstruída” pelos documentos que encontrei e pelo pouco que ouvi do meu tio – o irmão mais velho de meu pai.

        O que me deixa feliz é que apesar de muito pouco saber da história vivida (só tenho a história documental), por essas buscas todas eu acabo encontrando pessoas generosas como você, Tiago e tantas outras, sempre dispostas a me ajudar. Obrigada 🙂

        A si biri (curioso, como este cumprimento, dito em voz alta, parece de um legítimo português)

        Adriana

    • Edna Cristina Matias Alves 7 de junho de 2013 às 11:40 PM #

      Adriana, Meu nome é Edna, e também sou descendente de uma família Locci, porém de San Vito e Villasalto. Através do seu sobrenome, cheguei a esta pagina e descobri a grafia correta do sobrenome. A partir disso achei a entrada de meus bisavós Daniele Putzu Locci e Fortunata (Congiu) Alba no Brasil em 1897. Sem saber, você me ajudou muito. Pena que eu não herdei o sobrenome, mas é muito bom pesquisar e mais ainda descobrir as origens.
      Um abraço
      Edna

      • lucinhadettori 30 de agosto de 2013 às 4:50 PM #

        Ola edna – Fico feliz pela visita ao meu blog e por ter encontrado atraves de Tiago, seus parentes.
        Vou enviar o seu e-mail para ele.
        Grande abraço
        Lucinha Dettori

      • Adriana Loche 15 de maio de 2014 às 9:21 PM #

        Edna
        Poxa vida, não tinha visto seu post. Só hoje (15/05/2014), quase um ano depois o leio. Fico feliz de ter podido te ajudar, mesmo que sem saber 🙂
        Eu adoro fazer essas pesquisas. E é uma felicidade imensa quando encontramos o que procuramos. Se quiser, podemos manter contato. Meu email e: aaloche@gmail.com

        Um abraço
        Adriana

      • Edna 23 de junho de 2014 às 9:35 PM #

        Valeu Adriana, parece que não somos parentes próximas porque meus antepassados são de Villasalto, mas foi bom te conhecer. Meu e-mail é ednacris10@yahoo.com.br. Qualquer coisa que prescisar estou a disposição. Um abraço.

    • milenamogi 12 de janeiro de 2017 às 5:48 PM #

      Ola Adriana,

      Pode parecer sem sentido ou ate seja, mas achei sua hiastoria sem querer.
      Estou em busca da historia da minha familia, mas como sempre, parece um grande quebra-cabeca sem nexo.
      MInha bisavo se chamava Jesefina Paci, Peixe, Pecce e mais algumas variacoes erradas do nome.
      Enfim, meu unico tio-avo vivo tem 82 anos, conversando com ele, ele s lembrava que sua mae se considerava uma sardinola. Provavelmente esta errado o jeito de falar e escrever.
      Mas a parti disso comecei a procurar no google “sardegna famiglia pecce”, logo no segundo link estava o blog.
      O que me chamou a atencao foi a historia, pois o sobrenome pode ser Pecci, sao bem parecidos e pelo fato de Jacutinga.
      Meu avo e seus irmaos nasceram em Pinhal (SP), mas minha tia-avo, a filha mais velha, sempre falava que seus pais moravam em Jacutinga.

      Nao sei, pode estar tudo errado, nao ser nada disso.
      Mas so queria dizer que ler sua historia me deu um pouco mais de esperenca.

  11. marcio jose coelho de miranda 9 de abril de 2013 às 5:20 PM #

    Boa tarde lucinha,somente hoje,09/04/2013 eu li a historia do Tiago.
    Sou sobrinho neto de Silvio Pugedo e neto de Maria Antonia Pugedo
    Moro em Belo Horizonte e gostaria de saber como me contactar com Tiago.
    Curiosamente neste instante minhas irmas estao na Italia a passeio e um dos lugares
    que elas vao sera onde tudo começou.
    Obrigado
    Marcio

    • Tiago 11 de abril de 2013 às 12:39 AM #

      Ola Marcio, fico feliz q vc encontrou a historia q escrevi do Silvio. Me mande um email: tiagosamaia@gmail.com

  12. Sylvio Zocratto Júnior 6 de junho de 2013 às 1:02 PM #

    Boa tarde Tiago,

    Você é filho da Lívia? Adorei encontrar este Blog, sou da Família Zocaratto ou Zocratto, moro em Belo Horizonte. Sendo assim tenho parentesco tanto com os puggedos (minha avó é a Alzira Puggedo Masala que se casou com Joao Zocaratto e Ficou como Alzira puggedo Zocratto). Sou Filho de Silvio Zocratto que é irmão da Vanda Zocratto. Meu e-mail é szocratto@yahoo.com.br . Tenho um quadro de uma árvore genealógica que ficava na casa de nossa avó Alzira desde quando eramos crianças. Vou tirar uma foto e enviar para seu e-mail amanhã.

    um grande abraço,

    Sylvio Zocratto Júnior

    • lucinhadettori 19 de março de 2014 às 7:49 AM #

      Ciao Silvio Zocrato – descukpa pela demora na resposta – espero que esteja recebendo resposta dos contaros
      grande abraço
      Lucinha Dettori

  13. Rosella Santus 30 de agosto de 2013 às 11:24 AM #

    Bom dia Tiago
    Fiquei muito interessada sobre esses comentários, porque também sou sarda, vim com quase quatro anos da Sardegna, com minha mãe e mais “3 fratelli” em 1958. O meu avô Antonio Pau e minha avó Anna Salis Pau, já se encontravam no Brasil com meus 5 tios, irmãos de minha mãe. Somos da Sardegna, província de Cagliari, città Iglesias.Descobri esse site, porque dou aulas de italiano e entrei nesse site do professor Benetti.

    • lucinhadettori 30 de agosto de 2013 às 4:48 PM #

      ciao Rosella –
      Grazie per la visita ao meu site.
      Fico feliz por estar ajudando tantas pessoas a descobrir parentes Sardos
      Este na Sardegna em maio. Fiquei muito feliz, mas não encontrei nenhum parente Dettori, pasciência…
      Vou enviar o seu e-mail para o e-mail particular de tiago ele quase não entra no Blog é muito atarefado
      Bjs
      ucinha Dettori

    • Tiago Maia 3 de setembro de 2013 às 1:03 PM #

      Oi Rosella, obrigado pelo comentario. Que legal a sua historia. Onde sua familia se estabeleceu no Brasil? Quero muito conhecer Cagliari. Voce ja teve oportunidade de voltar?

    • Rosella Santus 22 de novembro de 2014 às 1:29 AM #

      Bom dia Tiago
      Gostaria de saber se existe possibilidade de enviar dados de família ou parentes na Sardegna. .Ou até de documentos
      Obrigada

      • lucinhadettori 22 de novembro de 2014 às 5:19 PM #

        Ola Rosella Santur,
        Grata pela visita ao meu Blog.
        Bem não entendi bem a sua pergunta, gostaria de lhe informar que Tiago é um particupante do Blog.
        Caso queira alguma informação sobre sua familia na Sardegna me mande um nome da Cidade deles, assim posso te orientar como fazer esta busca
        Grata pela visita
        Abraço Lucinha Dettori.

  14. Flávia Pugedo Corrêa 17 de outubro de 2013 às 11:02 AM #

    Olá, sou bisneta do Silvio Pugedo, sempre procuro as origens dessa família enooooorme que temos aqui, muitos vivem em Minas Gerais, mas gostaria muito de saber sobre os outros Pugedos/Puggedos nesse mundão de meu Deus e conhecer meus primos, tios…gostaria de saber um pouco mais sobre nossa família…estou buscando informações e pretendo viajar para onde tudo começou em busca dessas origens…Parabéns, Tiago pelo blog e pelas informações!!!

    • lucinhadettori 17 de outubro de 2013 às 4:04 PM #

      Cia Flávia
      Grata pela visita ao meu Blog. Sardegnaterramia
      Além do Tiago , a única ajuda que te posso dar é o e-,ael de uma Mereu que tem parentes também Puggedo.
      Faça contato com elea é muita simpática, talvez te ajude.
      Grande Abraço
      Lucinha Dettori

      elminhassoares@yahoo.com.br – Ela é casada com Heitor Mereu – e são parentes dos Puggedos também – Moram em Belo Horizonte –

    • Tiago Maia 21 de outubro de 2013 às 10:37 PM #

      Obrigado Flavia. Vc e’ descendente de qual filho do Silvio?

      • Flávia Pugedo Corrêa 22 de outubro de 2013 às 11:17 AM #

        Sou neta de Alair Pugedo (Pusceddu), bisneta de Silvio Pugedo e Rosa da Silva Meireles

        • Tiago Maia 22 de outubro de 2013 às 7:29 PM #

          Flavia…. e’ vc que e’ SUD?

        • lucinhadettori 19 de março de 2014 às 8:12 AM #

          Ciao Flávia,
          tive problema com a pagina de comentarios no Blog.
          Tiago te enviou um contato.
          Grande Abraços
          Lucinha Dettori

  15. Max Ferreira 12 de dezembro de 2013 às 11:35 AM #

    Olá pessoal!
    Parabéns pelo post, achei super interessante, pesquisar sobre a nossa própria família é sempre fascinante, imaginar como tudo aconteceu naquela época.

    Eu cheguei até o blog de vocês pelo Google, porque pesquiso a respeito dos imigrantes que vieram de Sardenha e gostaria se possível de uma ajuda de vocês sobre os meios para seguir a minha busca.

    Minha história (até agora) é a seguinte, eu possuía uma avó (Maria Emília da Silva e que depois se tornou Maria Emília de Macedo) que contava muito que o pai dela, segundo ela se chamava Francesco Suares da Silva e segundo ela de Sardenha, mas essa informação variava para Veneza (uma vez que quando minha vó contava ela já era de idade e não se lembrava exatamente), isso me deixou fixado com o fato de que meu bisavô (Francesco) provavelmente era italiano e com isso comecei a buscar pelo primeiro caminho mais correto que é perguntando para as minhas tias.

    Com muita especulação as minhas tias acabaram afirmando que a vovó repetiu mais vezes que o pai dela veio mesmo de Sardenha, com aproximadamente 15 anos e vestido de mulher (fugido de alguma coisa), essas são as poucas informações que possuo, agora estou a ver navios rsrsrs por não encontrar como prosseguir com minhas buscas com tão poucas informações.

    Eu estou montando a árvore realmente, se vocês tiverem alguma dica, informação ou sugestão de como eu busco mais informações será muito bem vindo! E mais uma vez parabéns pela história 🙂

    Minha árvore: http//maxferreira.myheritage.com.br

    • lucinhadettori 20 de abril de 2014 às 8:31 PM #

      Ciao Max.
      Mi perdoe por não ter visto o seu e-mail, e que são tantos e eles vão desaparecnedo da pagina principal , não sei dizer direito
      pois respond a todos.
      Muito interessante a sua hisotria a minha não é tão difeente não. Fiquei 20 anos pesquisando, e so agora consegui os dados corretos de meus avós que nasceram em Sassari.
      Bem a primeira pesquisa com bons resultados foi do Family Saerch – da Igreja do setimo dia dos Mormons. http://www.familysearch.com/Eng/default.asp
      tenta encontra a sua origem, é bem complicato te confesso. Mas eu tinhmais informações do que você. è um ongo caminho e as vezes da vontade da gente desisitir. Cvamos continuar trocando ideias ok? – meu e-mail particular é mariluciaheitor@terra.com.br – me escreva.
      Grande abraço
      Lucinha Dettori

  16. Carlos Roberto Mazala 22 de abril de 2014 às 9:10 PM #

    Olá boa noite tudo bem meu caroTiago , eu sou Carlos Roberto Mazala, meu Masala era com (S) mudei para Mazala com (z) meus bisavós vieram da Sardenha ele vei para o Brasil em 1896, o nome dele era Gavino Masala e Luzia, data do falecimento 16/7/1926, as 23:00 horas. Obs: Naturalidade sacare – Província de Sardenha – Itália . Eu lhe peço por favor me ajude a encontrar minha origem, eu não sei de nada da minha família . Vc faz esse trabalho , qual é seu preço , me adicione no facebook , meu e-mail roberto.mazala@bol.com.brmuito obrigado um forte abraço .

    • lucinhadettori 1 de maio de 2014 às 7:36 PM #

      procure no face tigo Maia e faça o convite Carlos
      grata por v isita o meu Blog
      Abraço
      Lucinha dettori

  17. Fabiane Masala 5 de maio de 2014 às 8:56 AM #

    Olá queridos! Sou descendente da Família Masala, meu trisavô Giuseppe Masala e seus pais Antônio Luiz Masala e Dolorita Rotti vieram da Sardenha – Sassari, graças ao Tiago Maia conseguimos descobrir muitas coisas sobre a família. Atualmente moro em Mandaguari-PR, mas meu avô Laercio Maurício Masalla, nasceu e viveu durante muitos anos em Guidoval- MG, Minha mãe Maria Luiza Masala, veio para o Paraná criança, deixamos em Minas muitos parentes e temos orgulho e pertencer a esta Família tão amorosa que é a Família Masala. Um abraço Fabiane Masala

  18. Ana Paglioni Mazala 17 de julho de 2014 às 4:50 PM #

    Então, estou buscando a cidadania Italiana, para adquirir o passaporte Europeu. Se eu tenho o direito porque não correr atrás. Mas não sei por onde começar. Não conheci meus avôs e avós, avô Atílio Mazala, e bisavó Josepha Paglioni. Alguém consegue me guiar para tais procedimentos? Onde acho que regstros e etc?

    • lucinhadettori 17 de julho de 2014 às 7:42 PM #

      Ola Ana,
      Obrigada por acessar o meu Bog
      Seus avós vieramm da Sardegna? tenho um amigo Mazala, talvez ele possa te dar algums dicas.
      Abraços
      Lucinha Dettori

  19. Carlos Roberto Mazala 7 de agosto de 2014 às 9:34 PM #

    Boa noite tudo bem? Então meu bisavô veio da Sardenha em 1896, ele se chamava Gavino Masala , sua esposa se chamava Dolorozita Hott. Tenho muita vontade de conhecer meus parentes. Meu facebook é Roberto Mazala. Abraço .

  20. Fabiana Galate 6 de novembro de 2014 às 8:25 PM #

    Alguém sabe algo sobre a história da família Galate ,e a família Galafo?

    • EVANDRO 16 de junho de 2015 às 12:44 AM #

      OLÁ LUCINHA! MEU PAI ESTÁ COM 76 ANOS HOJE VIVE NO RIO DE JANEIRO, VEIO DO SUL DE MINAS GERAIS,SUA Mãe SE CHAMAVA MARIA MURITTO, FILHA DE ANTONIETTA MURITTO VINDO DA ITÁLIA DIZEM QUE SÃO DA SARDENHA VINDO NA DÉCADA DE 20 PARA O BRASIL, PODERIA ME AJUDAR A PESQUISA, MUITO OBRIGADO. PARABÉNS PELO BLOG

      • lucinhadettori 16 de junho de 2015 às 10:22 AM #

        Boma dia Evandro,
        Fico muito feliz com a sua visita ao Bog.
        Precisa falar mais com seu pai e saber dele mais detalhe sobre a vinda de seus avòs.
        Por exemplo, o ano que vieram e onde desembarcaram, ai podemos ver onde pedir a lista de passgeiros.
        Se no Rio ou São Paulo. Muito provavelmete não deve ter o local da vinda deles da Itália, como aconteceu com meus parente
        e tantos outros, apenas Itália como destino de Vinda.
        Pela rápida pesquisa que fiz no Arquivo Mineiro, não encontrei Muritto me indicam Moretti.

        Os nomes dos meus avós sardos foram traduzidos para o português de Dettori para heitor, veja a diferença…
        Me passe todos os dados que tive. o que eu puder fazer pra te orientar farei com prazer. Se eles estavam no sul de Minas pode ser que tenha
        se registrado na hospedaria horta Barbosa em Juiz de fora e se assim fosse estariam no arquivo Mineiro, mas não encontrei através do sobrenome
        Pode ser que vieram pelo Porto de santos, indo pra São Paulo e depois vindo trabalhar nas lavouras no Sul de Minas.
        Todas as hipóteses são válidas. Mas já te adianto que muitas vezes pode ser uma longa caminhada prazerosa até a gente chegar até nossos antepassados. Não desanime!.
        Ate a proxima vez
        Abraço afetuoso
        Lucinha Dettori

    • lucinhadettori 16 de junho de 2015 às 10:30 AM #

      Ciao Fabiana,
      Este sobrenome é Sardo?
      Nosso blog tem mais facilidade de encontrar familias oriundas da Sardegna
      Me manda mais detalhes sobre o assuntos
      Grata pela visita
      Abraçços
      Lucinha Dettori

  21. Maria Clara Campolina Fada 9 de agosto de 2015 às 1:24 PM #

    Olá, meu nome é Maria Clara e tenho descendência sarda. Meu sobrenome é Fada. Meu bisavó veio de Sardenha com apenas 7 anos de idade, ele e mais dois irmãos. Seu nome era Salvatore Fada. Não sei de qual cidade é sua origem e gostaria muito de saber. Nunca o conheci (tenho apenas 14 anos). Moro em Monlevade-MG. Enfim, gostaria de saber se sabe algo de meu sobrenome, talvez consiga descobrir a cidade de origem do meu bisavó.

    • lucinhadettori 10 de agosto de 2015 às 6:13 PM #

      Querida Maria,
      muito lindo seu e-mail, veja o que localizei pra você.
      O registro dos seus bisavôs na Hospedaria Horta Barbosa.
      Infelizmente e não faço pesquisa genealogica, você teria que conseguir alguém pra te dar suporte, eu posso de dar algumas dicas como estas com muito prazer.
      Espero ter ajudo.
      Grande abraço
      Lucinha Dettori.

      http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/imigrantes/brtacervo.php?cid=2117
      NOME FADDA CARTA ANTON. – 49 ANOS ( seu bisavo certamente)
      SOBRENOME FADDA
      LIVRO SA-902 PAG.: 166
      DATA 19/06/1896 (DATA DE ENTRADA NA HOSPEDARIA) – Em juiz de fora – Minas gerais.
      NACIONALIDADE ITALIANA – (antigamente eles não diziam de que lugar da italia as pessoas vinham, eu levei 20 anos pra descobrir que os meus avôs vieram de Sassari – Sardegna.)
      DEPENDENTES FADDA MADDALENA – 35 ANOS – MULHER –
      FADDA SALVATORE – 7 ANOS – FILHO – ( veja bem este seguramente é o seu bisavô) se pedir ao arquivo eles te enviam o registro original deles, e só escrever – talvez no livro tenha o nome da cidade para onde os pais dele foi trabalhar e quem sabe encontre mais alguns dados)
      FADDA BUONANATO – 3 ANOS – FILHO ( no registro só mostra um irmão)
      EMBARCAÇÃO MONTEVIDEO –
      MICROFILME ROLO 03

      ———————-

      Pesquisei pra você alguns lugares da Sardegna e encontrei Fadda com dois dd e não um escreviam errado dois dd é o correto, encontrei no municipio di Sassari (Ittiri) sobrenomes FADDA. La viveram também meus avós Sardos. Procure a prefeitura de lá e escreva um e-mail, pedindo informações.Tem que ser em italiano. Se não tiver alguém pra fazer isto, me diga. Te ajudarei com prazer.
      Ciao carina amiga.
      Abbraccio

      • Maria Clara Campolina Fada 16 de setembro de 2015 às 2:51 PM #

        Muito obrigada, não sei como te agradecer. Abbraccio

        • lucinhadettori 16 de setembro de 2015 às 4:14 PM #

          DE NADA AMIGA – ESPERO TER AJUDADO – RETIFICANDO… ENCONTREI FOI O SEU TATARAVÓ.SEU AVÓ VEM NA LISTA DA FAMILIA. BEM ,PENSO QUE SEJA ELE. ABRAÇOS

        • SILVIA ROSANIA MATTEUSSI 27 de junho de 2017 às 10:19 PM #

          MARIA, CONHECI SARDEGNA EM 2016. É LINDA. DEPOIS QUE VOLTEI AO BRASIL, LI NUM LIVRO QUE MEU BISAVÔ VEIO DE LÁ, MAS NÃO ESCREVE A CIDADE. TENHO UMA IRMÃ QUE MORA NA ITÁLIA E TEM APARTAMENTO EM SARDEGNA. QUE DESTINO O MEU. TAMBÉM ESTOU A PROCURA DA CIDADE E MAIS DADOS. BOA SORTE PRA NÓS. PROCURO PELO SOBRENOME PECHE. (ANTONIO ANDREA PECHE. NO BRASIL ESCREVEM PEIXE.

    • Tiago S. Maia 16 de setembro de 2015 às 10:56 PM #

      Olhei o registro que a Lucinha postou. Minha tataravo’ estava no mesmo barco!!! De acordo com o registro, seus ancestrais nao eram de Ittiri (Sassari), e sim da capital CAGLIARI. Se vc tiver paciencia, pode procurar o nascimento do Salvatore aqui: https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1951-30943-32082-56?cc=2043426&wc=MC5N-T38:392226901,392446601,392455701

      Ja coloquei no primeiro registro de 1889. Basta vc ir olhando um por um ate acha-lo. Boa sorte.

      • lucinhadettori 17 de setembro de 2015 às 9:21 AM #

        Oi Tiago ,
        Fico feliz por poder ajudar o pessoal que entra no Blog devido ao seu artigo Minha Familia Sarda.
        Quero aproveitar e saber se tem alguma noticia para a certidão de meu pai.
        Abbratzu manno
        Lucinha

      • Maria Clara Campolina Fada 18 de setembro de 2015 às 3:52 PM #

        Vou olhar sim, muito obrigada

        • lucinha 17 de outubro de 2015 às 1:39 PM #

          Ciao Maria da próxima, sugiro entrar em contato com o autor do testo.
          Abraços

  22. juarez orsi 21 de outubro de 2015 às 8:19 AM #

    Bom Dia,
    Eu e meu primo Gueber Laux que tem a mãe Teresinha Orsi estamos pesquisando o Capitão Vicente Baptista Orsi, filho de Giovanni Batistta Orsi, que se declarava natural de Bispado de Narbonne do qual possuimos docto. do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro de nov 1839, entretanto seu filho Vicente se declarava sardo. Temos tambem a sua certidão de casamento e óbito em São Leopoldo RS. Onde viveu e tem episódios sua trajetória contada em Livros de História, por ter sido atuante na sociedade local. Nos faltaria a data e local de nascimento na Sardenha.

    • lucinhadettori 16 de novembro de 2015 às 2:35 PM #

      Ola Juarez,
      Se o vivente é Sardo veio da Sardenha e deve ter o registro também no Arquivo Nacional é só pedir
      a lista de desembarque.
      Abraços
      Lucinha

      • juarez orsi 21 de fevereiro de 2016 às 9:30 AM #

        Buon Giorno,
        Em primeiro lugar Muito Obrigado por me responder. (grazie)Eu consegui uma certidão do Arquivo Nacl. do Rio de desembarque no Porto de Santos de 1839, quando se declara sardo, mas para encaminhar a cidadania italiana eles exigem a certidão de nascimento na Sardenha.
        Obrigado pela atenção!

        • lucinhadettori 21 de fevereiro de 2016 às 8:52 PM #

          oi Juarez. Se eles vieram pelo Porto de Santos. então deveriam ter sido registrado no memorial de São Paulo, para onde iam todos os estrangeiros.
          http:/memoriaimigrante/pesquisa.php. Mas eles seguiram para o Rio grande do Sul, senão me engano?
          Então envie um e-mail para essse endereço e veja o que eles te respondem.
          o Site é este . http://www.apers.rs.gov.br, se bem que, o memorial do imirgrante de são Paulo, foi inaugurado em 1888 e seus parentes chegaram em 1836, então os registros devem estar mesmos e e-mail tele-apers@smarh.rs.gov.br ( rio grande do sul). Tenta não custa nada.

          e ou no Memorial do Imigante

          Juarez . è muito trabalho essas buscas. Mas se você encontrar pelo menos de onde eles vieram da Sardenha,
          prometo te ajudar na busca do municipio.
          Grande abraço e boa semana santa.
          Lucinha

  23. Samara Cortez 13 de janeiro de 2016 às 2:06 PM #

    Olá Tiago.. Sou tataraneta de Brigida Pusceddu e estou a procura de informações sobre ela, e sobre Francisco, com quem ela foi casada. Poderia me ajudar de alguma maneira?
    Meu contato é samaralhcortez@hotmail.com
    Obrigada!

  24. Kelly 28 de março de 2016 às 1:37 PM #

    Oi,
    gostei muito da historia da sua família, recentemente meu marido se interessou em da entrada no processo de cidadania Italiana dele, ele que ir até a Itália porque é mais rápido, só é muito caro e teremos que planejar muito. O tataravô do meu marido o Sr. Giuseppe Mura veio com sua esposa Virgínia Pizani e 5 filhos, um desses filhos o Sr Antonio Mura é o bisavô do meu marido e vieram todos da Sardenha, achamos documentos de hospedaria que ficaram em Juiz de Fora em Abril de 1897, embarcação Rosario. É muito lindo ir descobrindo a historia e quem sabe achamos parentes em Sardenha, pode ser dificil, mas seria maravilhoso. Abraços!.

  25. Leonardo P.M.Sardo 3 de maio de 2016 às 8:46 AM #

    Caríssimo parente, sou Leonardo P.M. Sardo, descendente dos Sardos que emigraram pª Portugal e radicaram-se em Aveiro, o meu pai chamou-se Leonardo Fernandes Sardo foi pª Angola em cumprimento do serviço militar obrigatório e por cá ficou, sou o seu filho mais velho tenho 62 anos, vivo em Luanda cidade onde nasci, constitui a minha família a partir dos anos 1970 antes da independência deste País e por cá continuo a viver, sou pai de seis sardos, cumprimentos.

    Leonardo Sardo

    • lucinhadettori 21 de junho de 2016 às 1:39 PM #

      Ola Leonrdo,
      Nõ me recorde de ter respondido seu e-mail. Ando as duras com a minha velha coluna que não me dá treguas.
      Ficquei muito feliz com a sua hisotrias, se quiseres esceve-la e me enviar com fotos, ficarei feliz em pubicar no nosso Blog.
      Agurdo uma resposta
      Grande Abraço da terrinha Brsil
      Lucinha

      • Leonardo Sardo 12 de julho de 2016 às 10:57 AM #

        Caríssima dona Lucinha,sinceros agradecimentos por me ter respondido,oportunamente voltarei ao contacto e enviarei fotografias da família Sardo por mim constituída nesta parte do Mundo,cumprimentos

  26. Samara Cortez 11 de outubro de 2016 às 2:29 PM #

    Sou tataraneta de Brígida Pusceddu, neta de Jair Cortez. preciso de informações sobre Francisco Cortez, marido de Brigida. Alguém sabe me informar? Segue meu email: samaralhcortez@hotmail.com
    Obrigada!!!

  27. Juliana de Araujo Alves 22 de janeiro de 2017 às 1:35 PM #

    Ola
    minha familia tambem veio da Sardenha, eram agricultores de Cagliari, chegaram na hospedaria em minas em 05.09.1986, mas não consigo encontrar em qual navio eles vieram.

    • Juliana de Araujo Alves 22 de janeiro de 2017 às 1:35 PM #

      desculpe quis dizer 05.09.1896

  28. tatiane mazala 13 de junho de 2017 às 10:48 PM #

    A foto do Giovanni(João) Antonio Masala é meu bisavo , eu que encaminhei para o grupo Rodovit para o Tiago Maia.

  29. Hyan Mazala 23 de outubro de 2017 às 2:06 AM #

    Muito legal a historia, e acho q somos parentes. Kkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: