`Poemas de Bruno Zapparrata, escritor e professor emérito da Universidade de Nápoles

13 set

 Poemas de Bruno Zapparrata –
Edição SSTM em português –
Fonte Madonna Nera – networkedblogs.com
Por Lucinha Dettori
 
  Caros amigos,
 
 
É com grande satisfação que volta a publicar dois lindos poemas que  foi agraciado por Bruno Zapparrata,  professor  emérito da Universidade de Nápoles  e grande conhecedor  e estudioso do dialeto napolitano no qual  escrever  a maioria dos seus poemas  premiados.
                                                                                                                 CICLAMINO 
Nota: O ciclâmen é um dos mais plantas decorativas de interiores, são predominantes devido ao fato de que elas nos dá suas flores bonitas durante o inverno, alegrando os períodos mais do inverno europeu. 
 
 Nutt Da”e libbertà ( NOITE E LIBERDADE)
                 Tradução literária e não poética em português –
É uma carícia quase transparente
que me cobre os olhos esta noite;
mantém o ar com um gosto inocente
como do mesmo modo retorna a primavera.
Um ciclamino está despontando na noite
e uma gaivota permanece a beira mar;
 primeiro parece estar chamando a mesma
ultima vela entre as ondas claras.
Eu vejo o mar e eu estou pensando em você!
Onde passou? É um tapete de flores;
provavelmente sem nenhum por que,
também irá apagar essas cores.
E voar, voltar, voar amanhã…
Desabrocha uma rosa, e a sua sombra  aparece:
Você se parece com um poema escrito com o mar,
Lua  prateada que se faz mais clara…
(Bruno Zapparrata)
  
VERSÃO ORIGINAL EM DIALETO NAPOLITANO
Nutt Da”e libbertà
E … ca me cummoglia ll’uocchie chesta sera,
ll’aria tene ‘o sapore assaie nnucente,
comme stesse turnanno ‘a primmavera.
Nu ciclamino ‘e notte sta spuntanno,
e nu gabbiano resta arriva ‘e mare;
‘a primma stella pare sta chiammanno,
ll’urdema vela mmiezo a ll’onne chiare.
I’ guardo ‘a rena e sto penzanno a te,
addo’ passaste è nu tappeto ‘e sciure,
forze dimane, senza nu pecchè,
se stutarranno pure sti culure…
E vola, torna e vola stu dimane,
schioppa na rosa e ll’ombra toia accumpare:
pare na poesia scritta c”o mare,
te fai d’argiento, sott”a luna chiara…
 
POESIA  TRADUÇÃO LITERARIA EM ITALIANO          
Da Nuttata’ ‘e libbertà
 E’ una carezza quasi trasparente
che mi ricopre gli occhi questa sera;
l’aria tiene un sapore molto innocente,
come stesse tornando primavera.
Un ciclamino di notte sta spuntando
ed un gabbiano resta a riva di mare;
la prima stessa sembra stia chiamando
l’ultima vela fra le onde chiare.
Io guardo il mare e sto pensando a te!
Dove passasti ? E’ un tappeto di fiori;
forse domani senza alcun perchè,
si spegneranno anche questi colori.
E vola, torna, vola questo domani,
spunta una rosa e l’ombra tua appare:
Sembri una poesia scritta col mare,
con la lunna d’argento che si fa più chiara…
(Bruno Zapparrata) Diritti tutti riservati
                                                                    (Domenico Baccarini, Ritratto di donna Bitta)
Tradução literária e não da poética em português –
Madonna Nera di Bruno Zapparrata
Como você é linda no meio da fileira
Com olhos azuis que se acende na fronte,
Com ar triste e silencio de igreja,
vestido de preto parecendo uma Madonna.
vendo você, me vem lentamente a
uma doce e sincera melancolia,
faz-me um olhar, um sorriso amargo,
agora você é apenas uma memória hipocondríaca.
Foi um momentos perdido no bem,
Borboleta de ouro beija-me e voa no ar,
talvez não nos explicamos bem, é verdade.
Resta o fato de que não ti esqueço nunca.
Que mortificação quando vejo caírem às estrelas,
Eu que as guardava dentro dos olhos belos,
da nostalgia que me traz de volta à noite,
sonhos com o silêncio das montanhas.
Se falássemos apenas uma hora,
far-te-ia entender o que vale a pena uma felicidade,
 queimada em um nada, uma pagina intima no bem…
Olho-te agora e me parece um retrato,
desbotado, como uma sombra da noite,
têm o mesmo ar de quando ti disse,
Você é uma Madonna, uma Madona Nera.
 
MADONNA DI NERA –  Bruno Zapparrata do (original em dialeto napolitano)
Comme si’ bella cu sta fila mmiezo
e ‘o blu e chist’uocchie ca s’appiccia nfronte,
cu ll’aria mesta e c”o sapore e cchiesia
vestuta ‘e niro, pare na Madonna!
Guarda nnote me scenne chianu chiano
doce e sincera na malincunia,
me faie na cèra e nu surriso amaro,
mo si’ sulo ricordo ‘e pecundria…
Fuie n’attimo sperduto dint”o bbene,
palomma d’oro, me vasaie e vulaie,
forze nun ce spiegaime buono, è overo,
resta ‘o fatto ca nun te scordo maie…
Che Croce quanno veco cadè ‘e stelle
io ca ‘e guardavo dinto a stuocchie belle,
d”a nustalgia ca m’arricorda ‘a sera,
d”e suonne e d”o silenzio d”a muntagna…
Si parlassemo n’ora sulamente
te faciarria capì che d’è na pena,
felicità abbrusciata dint”a niente,
na paggina tignuta dinto ‘o bbene!
Te guardo ancora e pare nu ritratto,
cu ll’aria scura comme ll’ombra ‘e sera,
tiene ‘a stess’aria ‘e quanno te dicette,
si’ na Madonna, na Madonna Nera…
 
MADONNA NERA-
Traduzione letterale e non poetica della Poesia em Italiano
Come sei bella con la fila in mezzo
e il blu degli occhi che si accende in fronte,
con l’aria mesta e con il sapore di chiesa,
vestita di nero sembri una Madonna.
Guardandoti mi prende piano piano
dolce e sincera la malinconia,
mi  fai una guardata ed un sorriso amaro,
adesso sei solo ricordo di ipocondria.
Fu un attimo sperduto nel bene,
Farfalla d’oro, mi bacio’ e volo’,
forse non ci spiegammo bene, vero,
resta il fatto che non ti dimentico mai.
Che Croce quando vedo cadere le stelle,
io che le guardavo dentro gli occhi belli,
della nostalgia che mi riporta la sera,
dei sogni con il silenzio della montagna..
Se parlassimo un’ora solamente
ti farei comprendere cosa è la pena,
felicita’ bruciata in un niente,
una pagina intinta nel bene….
Ti guardo ancora e sembri un ritratto,
con l’aria scura come ombra della sera,
hai la stessa aria di quando ti dissi,
sei una Madonna, una Madonna Nera.

2 Respostas para “`Poemas de Bruno Zapparrata, escritor e professor emérito da Universidade de Nápoles”

  1. Pietro Vizzini 13 de setembro de 2011 às 10:53 AM #

    Bruno Zapparrata, grandissimo poeta napoletano, le sue meravigliose poesie sono veri capolavori. Sono orgoglioso di essere un suo grande amico.
    Pietro Vizzini

    Curtir

    • lucinhadettori 13 de setembro de 2011 às 12:24 PM #

      Grazie Vizzini,
      Hai raggione Bruno é veramente um grande Poeta e amico.
      Grazie per la visita ao Blog
      Abbraccio
      Lucinha Dettori

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: