Arquivo | março, 2012

DIA DE SAN GIUSEPPE É DEDICADO AO DIA DOS PAIS NA ITÁLIA

19 mar

                      TANTI AUGURI PER IL GIORNO DEL PAPÁ  IN  ITÁLIA:  SALUTO SPECIALE  DAL  GRANDE POETA SARDO FRANCISCO MASIA                                                                                                                      

in custa die allegra de giubileu
bos mando su mentzus auguriu meu
… chi siana iscongiurados tottu sos males
passende die de pasu e recreu
cun frades amigos e fadales
e cussu Santu babbu de Redentore
siada semper cun bois a prottettore.F.M.>>

Trad. Buonamattinata<< Ai Giuseppe e padri

A tutti i padri e falegnami
In questo giorno giubilante
vi mando il mio miglior augurio
che siano scongiurati tutti i mali
passando una giornata serena
con fratelli amici e coetanei
e quel Santo padre del Redentore
sia sempre vicino a voi come prottettore.F.M.>>

Hoje, 19 de março, é dia de San Giuseppe (São José) e, em decorrência disso, comemora-se também o Dia dos Pais aqui na Itália. Pai de Jesus e exemplo para todos os pais, San Giuseppe é, segundo a tradição popular, o protetor dos pobres, dos órfãos e das moças solteiras; e devido a sua profissão é também considerado o protetor dos carpinteiros.

Segundo consta, essa tradição veio dos Estados Unidos e foi celebrada pela primeira vez por volta dos primeiros anos de 1900, quando uma jovem mulher decidiu dedicar um dia do ano especialmente para seu pai. À princípio essa data era comemorada no mês de junho, correspondendo ao mês de aniversário do pai em questão, e somente quando a tradição chegou também à Itália decidiu-se que seria mais adequado festejá-la no dia de San Giuseppe. No início era feriado nacional, mas foi logo revogado, porém continua sendo uma ocasião para as famílias, e principalmente para as crianças, festejarem seus pais amados.

A festa do dia 19 de março é caracterizada por duas manifestações típicas, que ocorrem em praticamente  todas as regiões da Itália: a fogueira e a preparação das ‘zeppole‘.

Pelo fato da celebração de San Giuseppe ocorrer no final do inverno, adicionou-se à ela os ritos de purificação agrária efetuados no passado pagão. Assim, nesta ocasião, queimam-se os resíduos da colheita nos campos e, para isso, enormes amontoados de madeira são acesos nos arredores das praças. Quando o fogo está para se apagar, algumas pessoas pulam a fogueira enquanto que as velhinhas tircotam entonando hinos para San Giuseppe. Todo esse ritual é acompanhado pela preparação das ‘zeppole’, os famosos bolinhos fritos que, mesmo variando a receita de região para região, são o prato típico dessa festa.

Cantiga popular sobre San Giuseppe:

– San Giuseppe vecchierello           
cosa avete nel cestello?                   

– Erba fresca, fresche viole                

nidi, uccelli e lieto sole!

Nel cantuccio più piccino
ho di neve un fiocchettino,
un piattino di frittelle
e poi tante cose belle!
Mentre arriva primareva
canto a tutti una preghiera,
la preghiera dell’amore
a Gesù nostro Signore.

Testo – fonte – Blog La Bota – Por SSTM-Brasile – Lucinha dettori

Alcachofra espinhosa Sarda:agora tem reconhecimento DOP pela UE válido em todos os países europeus.

17 mar


Fonte : pesquisa editorial

Tags agricultura – tuttis in pari –

Edição em português – lucinha Dettori

 Sardegna Terra Mia –Brasil/MG

A alcachofra espinhoso da Sardenha, torna-se um produto DOP em todos os aspectos. A funcionalidade da UE veio com a publicação no Jornal União Européia. Desde a sua inclusão no registro das denominações de origem protegida, a alcachofra pode gozar da proteção de transição que permitiu que o mercado como DOP apenas no território nacional. Agora, no entanto, o reconhecimento é válido em todos os países europeus. A produção de alcachofra espinhoso em intervalos de Sardenha 105-126 toneladas por ano, graças a um mil hectares de área cultivada (11 000 que é dedicado a todos os tipos de alcachofra) e cerca de 7000 plantas por hectare. São cerca de trinta empresas que crescem, especialmente em SASSARI, mas também na província de Cagliari e Campidano Médio. “Agora podemos dizer que concluiu um processo que havia sido preso por muitos anos”, disse o Conselheiro Regional da Agricultura Andrea Prato. “Este é um primeiro passo, mas importante para aumentar a produção, a proteger a sua especificidade de uso indevido e imitação.” Com este prêmio para a sua produção com uma marca de origem protegida (DOP e IGP) chegam na Sardenha em sete: Agnello di Sardegna IGP, Pecorino Sardo DOP, DOP Fiore Sardo, Pecorino Romano DOP, alcachofra espinhoso da Sardenha Dop Dop Zafferano di Sardegna, azeite extra-virgem DOP Sardenha. “Um sinal positivo em um mar de grande dificuldade para a indústria”, acrescentou o presidente do Inácio COPAGRI Cirronis. “Os problemas continuam, mas pelo menos podemos tirar partido deste produto típico da nossa terra”. A cultura também é importante para muitos empreendedores que, após o encerramento da fábrica Villasor decidiram começar um novo negócio. “Os produtores de beterraba agora crescer alcachofras”, disse Gigi Picciau presidente Confagricoltura. “Mas isso faz parte de um plano geral para a agricultura que nos diz que foco também em função da demanda do mercado. Para este novo dinheiro virá do direito e uma parte 15, que destinou 3,5 milhões para a agricultura. ” Para o presidente do Coldiretti, Marco Scalas, a alcachofra “não é o maior do setor, mas contribui para a força motriz da economia da Sardenha.”

                                                                                              .X.X.X.X

DIVENTA D.O.P. ANCHE IL CARCIOFO SPINOSO SARDO: VIA LIBERA DELL’UNIONE EUROPEA

 Il carciofo spinoso di Sardegna diventa un prodotto Dop a tutti gli effetti. L’ufficialità dall’Ue è arrivata con la pubblicazione sulla Gazzetta europea. Sin dal momento della sua iscrizione nel Registro delle denominazioni d’origine protette, il carciofo poteva godere della protezione transitoria che consentiva la commercializzazione come Dop solo sul territorio nazionale. Ora, invece, il riconoscimento vale in tutti paesi europei. La produzione del carciofo spinoso in Sardegna varia dalle 105 alle 126 tonnellate ogni anno grazie a una superficie coltivata di mille ettari (è di 11 mila quella dedicata a tutti i tipi di carciofo) e circa 7 mila piante per ettaro. Sono invece una trentina le aziende che lo coltivano, soprattutto nel Sassarese, ma anche in provincia di Cagliari e del Medio Campidano. «Adesso possiamo dire di aver concluso una procedura che per troppi anni era rimasta bloccata», ha detto l’assessore regionale all’Agricoltura Andrea Prato. «Si tratta di un primo ma fondamentale passaggio per valorizzarne la produzione, proteggere la sua specificità da abusi e imitazioni». Con questo riconoscimento le produzioni a marchio di origine (Dop e Igp) in Sardegna arrivano a sette: Agnello di Sardegna Igp, Pecorino Sardo Dop, Fiore Sardo Dop, Pecorino Romano Dop, Carciofo spinoso di Sardegna Dop, Zafferano di Sardegna Dop, Olio extravergine di Sardegna Dop. «Un segnale positivo in un mare di grande difficoltà per il comparto», ha aggiunto il presidente di Copagri Ignazio Cirronis. «I problemi rimangono ma almeno potremmo valorizzare questo prodotto tipico della nostra terra». La coltivazione, inoltre, è importante per i tanti imprenditori che dopo la chiusura dello zuccherificio di Villasor hanno deciso di iniziare una nuova produzione. «I coltivatori di bietole ora coltivano carciofi», ha spiegato Gigi Picciau presidente di Confagricoltura. «Ma questo fa parte di una programmazione generale dell’agricoltura che ci dice su cosa puntare in base anche alle richieste del mercato. Per questo serviranno nuovi fondi e una parte arriveranno dalla legge 15 che ha destinato 3,5 milioni per l’agricoltura». Per il presidente di Coldiretti, Marco Scalas, quello del carciofo «non è il settore più grosso ma contribuisce a dare linfa vitale all’economia sarda».

– BLOG SARDEGNA SA TERRA MIA -BRASIL DÁ ADEUS A LUCIO DALLA

1 mar

Fonte :Corriere della Sera>

Ed. SSTM em português

Ed. Lucinha dettori

                                      MORRE UN ICONE DA MUSÍCA ITALIANA

           

                                  A NOSSA  HOMENAGEM COM  UMA DE SUAS CANÇÕES MAIS FAMOSA NO BRASIL –

          CARUSO  –  “guardo’ negli -occhi la ragazza quegli occhi verdi come il mare
poi all’improvviso usci una lacrima e lui credette di affogare. “

O Cantor Lucio Dalla  sofreu um ataque cardíaco enquanto estava em turnê na Suíça. O artista foi atingido por um ataque cardíaco em Montreux, onde  ia fazia  uma série de concerto que incluia  – Basiléia, Lugano e Genebra.

A sensação – De acordo com a equipe do cantor, não havia sinal ou sinais de doença ,  “Ele estava bem – lembra o assistente  Mondellaao telefone (fundador da Promoção Midas, que deu a nota sobre o artista), otem à noite após o show em Montreaux,  ele estava feliz como  como era o seu jeito de ser.

Esta manhã ele acordou, tomou café da manhã, e depois de dar alguns telefonemas ,  se sentiu mal 

“A dor é tão grande “- eu não acho que há alguma coisa que podemos fazer e organizar de imediato para lembrar o cantor Lucio Dalla,  com uma carreira de 45 anos.
                    
Sua última aparição para o  público italiano foi feita  há algumas  semanas atrás no festival de San Remo com uma das cantoras jovens – Nani Pierdavid

.x.x.x.x

Corriere della Sera >
LA COMMOZIONE DEGLI AMICI E IL RICORDO DELLA «SUA» BOLOGNA

Lucio Dalla il cantante  colpito da un infarto durante il tour in Svizzera. L’artista è stato colpito da un attacco cardiaco a Montreux, dove si trovava per una serie di concerti che avrebbero dovuto toccare anche Basilea, Lugano e Ginevra.

IL MALORE – Secondo l’entourage del cantante, non c’erano segnali o avvisaglie. «Stava bene – ricorda al telefono l’assistente di Dalla -. Lui e Mondella (fondatore della Midas Promotion, che seguiva l’artista, ndr) si sono sentiti ieri sera dopo il concerto di Montreaux: era contento di come era andato.

Stamattina si è svegliato, ha fatto colazione, un paio di telefonate», poi si è sentito male. «Il dolore è talmente grande –  non credo ci sia niente che possiamo fare e organizzare», nell’immediato, per ricordare il cantante con Lucio Dalla, 45 anni di carriera .
                    
SUL PALCO DELL’ARISTON – L’ultima apparizione per il pubblico italiano è avvenuta poche settimane fa all’ultimo Festival di Sanremo, a cui Dalla ha partecipato con il brano Nanì insieme con il giovane cantante Pierdavid.