HISTÓRIA DA BANDEIRA DA SARDEGNA

22 maio

 

bandeira sarda

                                                                              BANDEIRA Quatro Mouros

Mouros, mauritanos, mauros ou sarracenos são considerados os povos oriundos do Norte de África, praticantes do Islã, nomeadamente Marrocos,  Argélia,

A bandeira com uma cruz vermelha e as quatro mouros vendados é o símbolo do povo  Sardo.

Envolta desse símbolo, interpretações e estudos históricos  tentam reconstruir as origens e os significados do escudo. No entanto, o emblema dos quatro mouros ainda é substancialmente um mistério.

Tradições da  Sardenha, conta a história de um banner que o Papa Bento II deu em 1017 à Pisanos e aos Genoveses  que lutaram na ilha para ajudar os sardos, contra os sarracenos  e o Rei Museto que naqueles anos ameaçavam conquistar Sardenha. Aproximando-se outros aspectos históricos, este banner incluída a cruz de São Jorge, padroeiro da cavalaria cristã.

A primeira aparição histórica do símbolo, se  remonta a um selo de chumbo aragonês do ano 1281, adotado pela chancelaria real de Pedro, o Grande de Aragão. que segundo a tradição ibérica, refere-se a uma lenda do século XI, segundo  a qual São Jorge, armado com um escudo branco com uma cruz vermelha, durante a Batalha de Alcoraz, realizada em 1096, interveio em nome dos aragoneses, deixando no campo de batalha as cabeças dos quatro reis árabes (quatro Mouros) derrotados e  ornamentados com  turbantes com pedras preciosas.

Na segunda metade do século XIV, o emblema  em forma de bandeira, associada a outros símbolos da Confederação da Coroa de Aragão,  aparece em um código chamado “Stemmario di Gerle” preservado em Bruxelas.

Em seguida, importado pelos reis de Aragão, o símbolo aparece na Sardenha Espanhola em estampas, moedas e banners dos órgãos especiais  da Sardenha, instituídos por Carlos V para defender a ilha de invasões bárbaras e mouros.

A iconografia do  símbolo foi confuso nos séculos seguintes e os cabeças dos mouros se  representaram de diferentes maneiras: olhando  para direita ou esquerda, frente, coroado, apresentados descobertos ou  com a bandana na testa ou nos olhos.

Na  Metade do século XVII a imagem usada até agora , que representa os mouros com a venda sobre os olhos, foi introduzido no estandarte  dos Sabóia, e era o símbolos da ilha. No se conhece a  razão da estampa dos mouros com as vendas nos olhos. que se perpetuou  então em diferentes matrizes.

ganfolone sardo

O emblema  na dinastia piemontês, fichas, moedas e bandeiras da milícia.O lendário emblema  da brigada Sassarese  adotado durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1952, o escudo dos quatro mouros foi declarado bandeira oficial por decreto do Presidente da República.

Em 15 de abril de 1999 a Bandeira da Sardenha foi oficializada pela lei regional  10, em que os quatro mouros olham para a direita, abrem os olhos e levantam a bandana
na testa, como na representação inicial.

Fonte – Artigo publicado em espanhol pelo  CIRCULO RAICES SARDAS  – Argentina

 Edição em português SSTM – Brasil 

Por – Lucinha Dettori

Anúncios

4 Respostas to “HISTÓRIA DA BANDEIRA DA SARDEGNA”

  1. Gavino Dettori 24 de maio de 2015 às 5:56 PM #

    Sardigna, una rosa in mesu ‘e su mari.

    Su mari nustru
    esti unu giardinu
    chi tottusu visitanta
    e ammiranta po’ ispantu.
    In mesu in mesu c’esti
    unu frori chi de su giardinu
    esti s’incantu! Unu frori
    chi tottu su mundu
    bendi a visitai, ma esti
    unu frori aresti, de pagusu
    si lassada toccai: tenidi
    armasa po di difendi!
    E ddu scidi beni chini
    ha tentau de n’di ddu
    segai! C’iada provau
    puru su feroci Saracenu,
    ma issu puru s’è deppiu
    pinniccai! Cussu frori esti
    sa terra mia, esti sa Sardigna,
    una rosa in mesu ‘e su mari!

    TRADUZIONE

    Sardegna, una rosa in mezzo al mare.

    Il nostro mare
    è un giardino
    che tutti visitano
    e ammirano sbalorditi.
    In mezzo ad esso c’è
    un fiore che del giardino
    è l’incanto! Un fiore
    che tutto il mondo
    viene a visitare,ma è
    un fiore selvaggio, da pochi
    si lascia toccare: possiede
    le armi per difendersi!
    E lo sa bene chi
    ha tentato di
    tagliarlo! Ci aveva provato
    anche il feroce Saraceno,
    ma anche lui si è dovuto
    ritirare! Quel fiore è
    la terra mia, è la Sardegna,
    una rosa in mezzo al mare!

    Gavino Dettori, 24 maggio 2015

    • lucinhadettori 24 de maio de 2015 às 6:29 PM #

      Grazie Cugino mio – quando posso, faro la traduzione per il portoghese – grazi emile
      le tue belle poesie sono sempre benvenuta nel Bloh.
      abbraccio di buona serata –
      Luci

  2. Maria Teresa Andrioni 25 de maio de 2015 às 4:14 PM #

    Lucinha, que história maravilhosa e rica em detalhes! Gostaria de saber se o povo sardo aceitou de bom grado a oficialização da nova bandeira, fato que ocorreu tão recentemente.

    • lucinhadettori 26 de maio de 2015 às 9:37 AM #

      Ola Maria teresa, Bom dia.
      Vou verificar pra você e ti respondo em seguida ok?
      Ando meio sem tempo, pois estou finalizando o livro que estou
      sobre a história, mesmo que fragmentada,da minha minha família sarda no Brasil.
      Abraços.
      Lucinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: