Arquivo | março, 2016

POEMA DE GAVINO DETTORI – MEMÓRIAS “ABRAÇA-ME FORTE”…

18 mar

POEMA DE GAVINO

1016951_675750722485814_1393042445423964268_n

Poema: Memorias
De Gavino Dettori
tradução não literária.

Lucinha Dettori

  Por SSTM – Brasil

Memórias.
Abraça-me forte,
deixe-me sentir o que é o amor.
não o recordo mais.
Não tenha medo, a vida
é agora em mim, somente
as lembranças  da juventude
estavam adormecidas.
Elas  haviam desaparecido,
derrotada pela idade
que avança: é duro,
ver, com a passar do tempo,
atenuar sempre mais os sentimentos
mais belos, enquanto voltam à memória os momentos tristes atravessados.
Não!Eu não quero ver cair na indiferença as alegrias do passado:

abraça-me forte,

não permita que elas voem em céus distantes.
Gavino Dettori, 17 de março de 2016

——————————

testo originale.
Memorie.
Stringimi forte a te,
fammi sentire cosa
sia l’amore. Ormai
non lo ricordo più.
Non aver paura, la vita
è ancora in me, solo
i ricordi della gioventù
si erano affievoliti,
sconfitti dall’età
che avanza: è duro
vedere, con lo scorrere
del tempo, affievolirsi
sempre più i sentimenti
più belli, mentre tornano
alla memoria i momenti
tristi attraversati. No!
Non voglio veder cadere
nell’indifferenza le gioie
del passato: stringimi
forte a te, non permettere
che volino in cieli lontani.
Gavino Dettori, 17 marzo 2016

POR QUE O DIA 08 DE MARÇO? A MULHER PETRIFICADA DE AUSTIS

8 mar

MARIA DOMINICI

                                                                                     Fonte:  Maria Rosa DOMINICI

Por SSTM – brasil 

Adaptação :Lucinha Dettori

Austis

                                                       (Austis é uma comuna italiana da região da Sardenha, província de Nuoro)

Esta bela lenda que Rossella Dominici, amigo da Sardenha, me enviou, e que me inspirou sobre o aniversário de 8 de Março, erradamente, na minha opinião, a parte chamada de mulheres, nascendo de uma tragédia, em que a confiança foi traida e o sacrifício coexistiu.

Diz a lenda,  que uma menina de Cabras  se apaixonou por um pastor de Austis.
conhecido em todo transumância invernal usual das montanhas, desceu as colinas com os rebanhos
em busca de pastos, até o litoral donde o clima era mais ameno.
Ali foram trocados os presentes e as promessas de matrimônio.

O pastor parti e a jovem fica estava esperando por seu retorno. Mas sem sucesso.
A jovem então é levada  ao caminho cansativo e difícil em direção à montanha.

perto de Austis, encontra o pastor casado com outra.
Em uma corrida veloz, retorna à sua trilha. 
No entanto, em um ultimo  olhar para trás sobre a esperança destruída
 a jovem fica petrificada  pela imensa dor que marcou o seu destino. ..

                                                                                        .x.x.x

Distante no tempo no espaço e na cultura uma “outra mulher nas costas do mar Morto, também se transformou em uma estátua de sal…
Mesmo nos Estados Unidos. talvez há estátuas para comemorar a morte de muitas mulheres queimados vivas dentro de uma fábrica ..
mulheres confiantes,  trabalhadoras que foram deixados para morrer em um incêndio.

Como não pensar em outros incêndios? aqueles das bruxas?
Aqui a lenda de Rossella Dominici, uma mulher confia em promessas de amor, e ela não é permitido sequer olhar para o amor perdido, para o passado, que é punido, se transformando em pedra … a dor petrifica, a desobediência petrifica … a esposa da bíblica que gira para assistir a cidade corrupto envolvida em chamas é transformada em uma estátua de sal … 

Em seguida, o quê, quando e onde é a celebração das mulheres? Se estes parecem ser culposos e punidos de qualquer maneira…

A cobra, do sexo masculino, deu a maçã para Eva e não Adão, que, inclusive, partilhando a sua expulsão do Éden não foi amaldiçoado com o “dar à luz com a dor” …

Refletida a partir dos contos de fadas, história, lendas, mitos, a mulher é a vítima, especialmente vítima de amor, uma vítima de seu desejo de aprender, o desejo de capacitar-se através do conhecimento, aprender, trabalhar, lhes nega a emancipação porque só desta forma continua sujeita.

Talvez o verdadeira festa da mulher poderá existir quando a visão social e a geração universal pensar realmente, com atos e ações, para a mulher como pessoa e não como um objeto, embora valiosa.

A mulher, como tal, não deve aceitar que a sua festa seja relacionada a um massacre, é uma perversão distorcida no valor da morte e sacrifício.

Estamos ainda na ética distorcidas dos contos de fadas punitivos, como a Pequena Sereia, A Bela Adormecida, Branca de Neve etc.etc. Em cada um deles a fim de viver a alegria de amar e ser amado, mas a traição ou dormir o sono da da morte e a punição, como se a ganhar reconhecimento adequado, antes você deve expiar …

Então, por que  8 de março? Vou continuar a não comemorar, poi este, me lembra a dança da morte

Maria Rosa DOMINICI
Sobre Maria Rosa DOMINICI

psicólogo, psicoterapeuta vittimologa, membro da Academia de Ciências Teatina, o New York Academy ofSciences, a Ass Internacional. de Juvenil e Família Tribunal de Magistrados, da Sociedade Italiana de Vitimologia, o WSV, dell’Ass.internazionale de Doutor em Estudos Religiosos psicóticos ., Professor de sexologia seminário, criminologia e vitimologia em universidades italianas e estrangeiras, projetos especialista Daphne sobre o tráfico de crianças e exploração sexual, criador do projeto Psicantropos, o autor de várias publicações que tratam de menores e infracções conexas  há 40 anos.

———————————————————————————————-

La donna pietrificata di Cabras,perchè l’8 marzo?
Inserito il 07 marzo 2016 da Maria Rosa DOMINICI

Questa la bella leggenda che Rossella Dominici,amica sarda,mi ha inviato e che mi ha ispirato riguardo la ricorrenza dell’8 marzo,erroneamente,a mio avviso ,chiamata festa delle donne,essendo nata da una tragedia,in cui fiducia tradita e sacrificio coesistono.

La leggenda narra che
Una fanciulla di Cabras
Sì innamorò di un pastore di Austis
Conosciuto durante la
Solita transumanza invernale
Che dalle montagne
Faceva scendere le greggi
Alla ricerca dei pascoli
Fino alla costa
Dove il clima era più mite
Furono scambiati i doni e
Le promesse di matrimonio. Il pastore parti e la ragazza attendeva il suo ritorno
Ma inutilmente.
La giovane allora intraprese
Il faticoso e difficile percorso
Verso la montagna.
Giunta ad Austis
Trovo ‘il pastore sposato con un’altra
Una corsa veloce
La riportò sui suoi passi
Ancora uno sguardo indietro
Verso la speranza distrutta
E la fanciulla rimase pietrificata
Dall’immenso dolore che segnò la sua sorte. .
Lontano nel tempo e nello spazio e nella cultura un’ altra donna sulle rive del Mar Morto è statua di sale..

Anche in America. forse ci sono statue per ricordare la morte di tante donne bruciate vive dentro una fabbrica..
Donne fiduciose,lavoratrici furono lasciate morire in un rogo
Come non pensare ad altri roghi ? quelli per le..streghe?

Qui nella leggenda di Rossella Dominici,una donna si fida di promesse d’amore e non le è concesso neanche di guardare verso l’amor perduto ,verso il passato,che viene punita,si tramuta in pietra …il dolore pietrifica La disobbedienza pietrifica… la moglie biblica che giratasi per guardare la città corrotta avvolta dalle fiamme viene tramutata in statua di sale…..

Allora quale,quando e dove è la festa delle donne ? se queste sembrano essere colpevolizzate e punite comunque.

Il serpente,maschio,diede la mela ad Eva e non ad Adamo,che seppur condividendone la cacciata dall’Eden non fu maledetto con”tu partorirai con dolore”…
Riflettendo dalle fiabe,alla storia,alla leggenda,ai miti la donna è vittima,specie vittima d’amore,vittima del suo desiderio di conoscere,della volontà di emanciparsi tramite il sapere ,il conoscere ,il lavoro,le si nega l’emancipazione perchè solo cosi resta oggetto.

Forse la vera festa della donna potrà esserci quando il vissuto sociale e generazionale universale penserà veramente,con atti e fatti,alla donna come persona e non come oggetto,seppur prezioso

La donna in quanto tale non dovrebbe accettare che la sua festa sia legata ad una strage,è una perversione,è snaturare il valore della morte e del sacrificio.

Siamo ancora nell’etica distorta e punitiva delle fiabe,come la sirenetta,la bella addormentata nel bosco,Biancaneve ecc.ecc.in ognuna di loro per poter vivere la gioia d’amore ed essere amate c’è o il tradimento o il sonno come morte e punizione,quasi che per conquistare il giusto riconoscimento prima si debba espiare …
Quindi perchè l’8 marzo?continuerò a non festeggiare,mi ricorda la danza macabra
Related posts:

Maria Rosa DOMINICI
About Maria Rosa DOMINICI

psicologa,psicoterapeuta vittimologa,membro dell’Accademia Teatina delle Scienze,della New York Academy ofSciences,dell’International Ass. of Juvenile and Family Court Magistrates,della Società Italiana di Vittimologia,della W.S.V.,dell’Ass.internazionale di Studi Medico Psico Religiosi.,docente di seminari di sessuologia, criminologia e vittimologia in università Italiane e straniere,esperta per progetti Daphne su tratta di minori e sfruttamento sessuale,creatrice del progetto Psicantropos,autrice di varie pubblicazioni,si occupa di minori e reati ad essi connessi da 40 anni.