Arquivo | outubro, 2017

“SA PARADURA” PARA ELIA. O GRANDE GESTO DOS PASTORES SARDOS AO JOVEM DE 17 ANOS DE POSADA.

27 out

Posada é uma comuna italiana da região da Sardenha, província de Nuoro, com cerca de 2.371 habitantes. 

adaptação para o português – lucinha Dettori

Fontes ZMS – Newa – Notizie e Sardegna Live 

Elia Taberlet ainda  está incrédulo, porque ele não acreditava  que sua história pudesse ter tanta repercussão .Invés, a história deste menino da Sardenha, de Posada, que quer ser um pastor, tornou-se famosa. Seja pela  tenra idade de Elias, que em apenas 17 anos, o que representa  esta  história, um símbolo de generosidade e amizade. “Comecei a me aproximar do campo ainda na infância quando tinha seis anos. Fui ao campo com meu padrinho e fiquei fascinado com o contato com a natureza e com animais.

Então pensei que essa paixão poderia se transformar em trabalho; minha família me deu uma ovelha : uma avó, um padrinho, meus pais, um presente que era um ponto de partida para o meu futuro. “O futuro que em setembro correu o risco de mudar.

 uma noite, no terreno fora da cidade onde Elias tinha suas  ovelhas, os animais desapareceram. Alguém lhes tinha roubado

 “Eu não pensei em desistir, mas eu estava muito decepcionado -. diz o menino – foi um presente dos meus pais e a base para a  minha futura  profissão “.

Elias não queria que todos soubessem do roubo, mas o padrinho não podia aceitar que o sonho do afilhado acabar assim, aos 17 anos, por causa de ladrões. Então escreveu uma carta para o jornal “O nova Sardegna” dizendo da tristeza do menino e como esses animais eram importantes para ele. Mas mesmo o padrinho de Elia não imaginava criar tantas reações; em vez disso desencadeou uma corrente de solidariedade na web. Uma das primeiras a pedir para dar ajuda a Elia, foi a página do facebook na página Laura Laccabadora, oferendo um animal ao menino.

Sa Paradura. As lágrimas de Eraldo que mora em La Maddalena e doou dezesseis ovelhas grávidas para o jovem Elias: “Nós os sardos são feitos assim”

Fonte Sardegna Live

E as respostas não demoraram . “Eu tenho duas cabras, posso lhes dar a ele”, escreveu um usuário, enquanto outra pergunta: “Eu tenho animais, eu poderia comprar-lhe um” A web tam-tam  da web também moveu os membros do grupo da Sardenha Istentales para organizar ” Sa Paradura “um gesto de solidariedade da Sardenha nascido no mundo agropastoril da ilha dedicada aos pastores que, como resultado de roubo ou desastres naturais, perderam rebanhos. Juntos  cada membro da comunidade doa um seu animal, para que o pastor possa recomeçar e   não perder a esperança.

Sardegna Live

Um ato de fraternidade que os pastores sardos também fizeram  para os agricultores da região central da Itália atingidas pelo terremoto de 2016. “Sa paradura para Elias” foi realizada na sexta-feira dia  20 a Posada, e Elia não parou de agradecer a seus “colegas “, centenas de vezes, e aos artistas que cantaram na noite no auditório do da cidade. Agora Elia pode retomar o que ele começou. “Agora eu tenho 80 ovelhas – diz ele – Foi emocionante, nunca vou parar de pensar no que fizeram por mim”.

——————————————————————————————————————————-

 

 

 

SAS PRENDAS : A FACA E O ANEL – OBJETOS TROCADOS NO COMPROMISSO MATRIMONIAL SARDO –

21 out

                         
HISTÓRIAS E TRADIÇÕES SARDAS
 DI:  DOMENICO MELIA – SASSARI -S
ADAPTAÇÃO EM PORTUGUÊS-
LUCINHA DETTORI
Trocar um Maninfede( anel)  ou faca sardônica  significa um  comprimisso matrimonial na Sardenha …

Dizem que foram os lendárias janas que deram origem as jóias da ilha.
O Mercure, um barco da republica Napoleonica Francesa construído em 1805, foi cedido ao Reino da Itália em 1809.Na noite de 21 de Fevereiro de 1812, esta embarcação, escolta, juntamente com sua irmã Jena e Mameluck, o navio Rivoli,  que teve a infelicidade de entrar, fora do porto de Veneza, no esquadrão naval ingles Royal Navy.

As duas frotas começaram um choque (lembrado como a Batalha de Grado), durante o qual o Mercure, sob os golpes da brigada britânica Weasel, explodiu no mar. Ele despedaçou em dois troncos: o popa afundou instantaneamente, o e a proa caiu a cerca de cem metros de distância.
O naufrágio, descoberto em fevereiro de 2001, é o único navio do Reino da Itália, sendo o navio combatente tricolor mais antigo.

Você se perguntará: “O que tem isto a ver com a Sardenha?” Aparentemente nada.

No momento do naufrágio, havia 92 homens a bordo da embarcação. Para ser exato, 5 oficiais, 67 marinheiros e 20 soldados. Entre os objetos pertencentes a esses homens, o mar guardou durante quase dois séculos uma fé de ouro, um anel com granulações bastante elaborado: a fé sardônica ou o anel de compromisso típico de uso exclusiva da mulher sarda, ou mais comumente chamado de manifede.

Como havia mulheres a bordo do navio, essa fé era talvez a promessa de amor de um membro da tripulação para a sua amada, que esperava o retorno. Ou foi um simples lembrete … Quem sabe o que a majestosa história de amor está escondida atrás desse anel! Para cada um de vocês, deixo o prazer de ventilar sua fantasia.

A fé da Sardenha,( ou o Manifede) plana e decorada com gotas de ouro ou prata, como uma risada lacy, é um dos mais belos produtos do artesanato da Sardenha. Apreciado e conhecido em todo o mundo, era um verdadeiro anel de casamento.

Hoje, desconectado de seu antigo valor simbólico, também existe na versão masculina (mais simples e sem a parte plana) e é comprado diariamente por turistas e turistas. Mas nada impedirá você de recuperar sua antiga função se você, em um ímpeto vagamente retro, quiser declarar amor eterno a alguém.

Ou se preferir, você pode escolher o mannish, outro anel da Sardenha simbolicamente relacionado à fé. Uma vez, ele sela o caso de amor entre um homem e uma mulher que decidiram se casar.

Como a palavra diz, “mãos na fé”. Na verdade, o objeto representa duas mãos unidas.

Quando uma garota aceitava esse presente , este anel, se tornova uma mulher e, em troca, ela dava ao homem uma faca com uma alça de chifre. Então, a aliança ou o pacto eterno do noivado era celado.

COLTELLO DE CABO DE OSSAEstas são duas belas jóias, entre as jóias da Sardenha.
Conta-se que foram os legendarios Jonas ( feitos sardos) que , tecendo fios finos de ouro e prata, e entrelaçando-os com pedras preciosas, para dar origem às jóias da ilha: ou AS PRENDAS – SA PRENDAS.


cambiarsi la fede sarda o coltello e maninfide

Si racconta che furono le leggendarie Janas a dare origine ai gioielli dell’isola.

Il Mercure, un brigantino della Repubblica Francese di Napoleone costruito nel 1805, fu ceduto al Regno Italico nel 1809. La notte del 21 febbraio 1812, questa imbarcazione, di scorta, insieme alle gemelle Jena e Mameluck, al vascello Rivoli, ebbe la sventura di incappare, fuori dal porto di Venezia, nella squadra navale inglese Royal Navy. Le due flotte diedero inizio a uno scontro (ricordato come battaglia di Grado), durante il quale il Mercure, sotto i colpi del brigantino inglese Weasel, esplose in mare. Si spezzò in due tronconi: quello di poppa affondò immediatamente, quello di prora si inabissò a circa cento metri di distanza.

Il relitto, scoperto nel febbraio 2001, è l’unico di una nave del Regno Italico, la più antica nave battente tricolore.

Vi starete chiedendo: “Cosa c’entra tutto questo con la Sardegna?”. Apparentemente nulla.

Al momento del naufragio, a bordo del brigantino erano presenti 92 uomini. Per essere esatti, 5 ufficiali, 67 marinai e 20 militari. Tra gli oggetti appartenuti a questi uomini, il mare ha custodito per quasi due secoli una fede d’oro, un nastro di granulazione piuttosto elaborata: la tipica fede sarda da donna.

Dal momento che a bordo della nave sembra escluso ci fossero donne, quella fede era forse il pegno d’amore di un membro dell’equipaggio per la sua amata, che ne aspettava il ritorno. O era magari un semplice ricordo…Chissà quale maestosa storia d’amore si nasconde dietro quell’anello! A ognuno di voi il piacere di dare sfogo alla propria fantasia.

La fede sarda, piatta e decorata con gocce d’oro o d’argento, a mo’ di pizzo chiacchierino, è uno dei più bei prodotti dell’artigianato sardo. Apprezzata e conosciuta in tutto il mondo, anticamente era un vero e proprio anello di nozze. Oggi, slegata dal suo antico valore simbolico, esiste anche nella versione maschile (più semplice e priva della parte piatta) e viene acquistata quotidianamente da turisti e turiste. Ma nulla vi vieterà di recuperare la sua antica funzione se, in un impeto vagamente retrò, vorrete dichiarare amore eterno a qualcuno.

O se preferite potete scegliere il maninfide, altro anello sardo simbolicamente affine alla fede. Un tempo suggellava il patto d’amore tra un uomo e una donna che decidevano di sposarsi.

Come dice la parola, “mani in fede”. L’oggetto rappresenta infatti due mani unite.

Quando una fanciulla accettava in dono questo anello diveniva donna e in cambio di esso donava all’uomo un coltello con il manico di corno. Così veniva stretto il patto eterno del fidanzamento.

Questi sono due splendidi gioielli, tra i gioielli sardi.

Si racconta che furono le leggendarie Janas (fate sarde), tessendo sottili fili d’oro e d’argento, e intrecciandoli con gemme preziose, a dare origine ai gioielli dell’isola: sas prendas.

 

S’ARDIA’ UNS DOS FESTIVAIS MAIS FASCINANTES DA SARDENHA

13 out

Titolo: Sagra in Sardegna
Autore: Serra Fiorenzo
Regia: Serra Fiorenzo
Direttore d’orchestra: Porrino Ennio
Montaggio: Serra Fiorenzo
Musiche: Porrino Ennio
Riprese: Serra Fiorenzo
Fotografia: Serra Fiorenzo
Sigla: Serra Fiorenzo
Testi: Motta MarioPinna Luca

De grande interesse histórico e antropológico, este documentário descreve em todos os seus aspectos o festival de San Costantino, destacando, em particular, todas as fases complexas de um dos mais famosos festivais da Sardenha, chamado  S’Ardia.

Esse acontece em SEDILO,  uma comuna (município) na província de Oristano,uma pequena aldeia de 2000 habitantes na Sardenha.  Sedilo, antes de 1974, pertencia a província de Cagliari. Está localizado na sub-região histórica de Guilcer. A origem do seu nome advém da palavra latina sedulus, que significa trabalhador.

S ‘Ardia é um dos eventos mais fascinantes da Sardenha.  A corrida espetacular chega em torno da igreja de San Constantino, onde  que todos os anos cerca de 100 cavaleiros participam. Ocorre na noite de 6 de julho e é repetido na manhã do dia 7 de julho.O interessante é que,  oito dias após o S’Ardia a cavalo (a oitava ou s’ottada) é feito outro evento só que desta feita a pé, seguindo o mesmo caminho.

Edição português : Blog SSTM – Brasil

Por Lucinha Dettori

——–

Di grande interesse storico e antropologico, questo documentario descrive in tutti i suoi aspetti la festa di San Costantino, mettendo in evidenza, in particolare, tutte le complesse fasi di uno dei festival più famosi della Sardegna, chiamato S’Ardia.

Ciò avviene a Sedilo, un comune (comune), in provincia di Oristano, un piccolo paese di 2.000 abitanti in Sardegna. Sedilo, prima del 1974, apparteneva alla provincia di Cagliari. Si trova nella storica zona suburbana di Guilcer. L’origine del suo nome deriva dalla parola latina sedulus, il che significa lavoratore.

S ‘Ardia è uno degli eventi più affascinanti della Sardegna. La gara spettacolare viene intorno alla chiesa di San Constantino, dove ogni anno circa 100 cavaliere partecipano. Si verifica la notte del 6 luglio e si ripete in 7 interessante julho.O del mattino è che, otto giorni dopo che il cavallo S’Ardia (l’ottavo o s’ottada) viene eseguita solo altro evento che questa volta passeggiata , seguendo lo stesso percorso.

Edição português : Blog SSTM – Brasil

Por Lucinha Dettori