Arquivo | junho, 2018

Brasil descobrirá a Sardenha com a TV Globo, em breve o documentário

7 jun

Post sugerido por – CHIARA DETTORI – OLBIA 

Fonte: http://www.sardiniapost.it/

Por – sstm em português 

 Adaptação  – Lucinha Dettori

A maior rede de televisão do Brasil, a Globo , uma das redes mais importantes do mundo, por três semanas na Sardenhapara descobrir os segredos, belezas e tesouros do território. Objetivo: fazer um documentário para que os telespectadores brasileiros conheçam a segunda maior ilha do Mediterrâneo. A última etapa foi a província de Cagliari, primeiro com um estudo aprofundado do museu do país de San Sperate, a 15 km de Cagliari, e do jardim de som do escultor Pinuccio Sciola. Depois, com um passeio pelas ruas, monumentos e pontos de vista do bairro Castello de Cagliari. O salto final para o maior mercado coberto da Europa, o San Benedetto em Cagliari, é inevitável, com foco em frutas e peixes expostos nas covas da estrutura, que agora se tornou um destino turístico obrigatório para aqueles que passam algum tempo no sul da Sardenha. .

Nos dias anteriores, a equipe de televisão também fez uma parada em Alghero, Maddalena e Budelli com a famosa praia rosa. Não apenas paisagens de cartão postal. A trupe tentou aprofundar o fenômeno da longevidade, um elemento agora reconhecido internacionalmente, com entrevistas e foco jornalístico-documental. Os jornalistas também foram às pequenas aldeias do interior para ouvir os testemunhos das comunidades locais e dos anciãos. Um belo local para a Sardenha, não só para o produto final que será transmitido nas próximas semanas: as ligações de TV da Itália para atualizações sobre a situação política nacional e outras notícias foram feitas nas últimas semanas pela ilha. Com os fundos e paisagens de Cagliari, Alghero e muitos outros lugares da ilha.

 

 
 

Cannonau da Sardenha é o vinho mais antigo do mundo

1 jun

OPara brindar, em desespero ou por puro prazer como acompanhamento das refeições, sabe-se agora que o vinho é uma das bebidas mais consumidas no mundo. Uma narrativa de longa história nos transmitiu toda uma série de figuras que – do período grego ao romano, passando pelo comunal até a época atual – do prazer de beber cantaram seus louvores.

E na longa discussão sobre quem são os inventores do vinho e quem tem amplo uso em larga escala, novas descobertas arqueológicas revelam que a Sardenha seria a terra natal original do vinho. De fato, em Monastir, município da Cidade Metropolitana de Cagliari, alguns achados do período Nuraghic – até mesmo da Idade do Ferro, entre 900 e 750 aC – deram origem a essa teoria desde o início dos anos 90.

A descoberta de um lagar de vinho milenar no qual foram encontrados vestígios biológicos de ácido tartárico (presente nas uvas) levaria a crer que esta ferramenta era usada para populações nurágicas antigas para produzir vinho. Uma trilha antiga que remonta ao século IX aC, que é o mais antigo (deste tipo) encontrado na área europeia. Os traços analisadas por químicos da Universidade de Cagliari revelaram mais detalhes sobre este antigo néctar de vinho: a origem seria de vinhas nativas e tipo vermelho (vinho tinto), algo potencialmente e provavelmente semelhante ao Cannonau: um antigo cannonau pai do moderno, que fundamenta na Sardenha as origens antigas do vinho.

Fonte:http://metrokaralis.it/e-il-cannonau-sardo-il-vino-piu-antico-del-mondo

Por SSTM – Edição em português – Lucinha Dettori


UM DOS MAIORES FABRICANTES DO MELHOR  VINHO CANNONAU DA SARDENHA: 

TENUTE DETTORI 

 
Resultado de imagem para imagens dos vinhos tenutti dettori

Foto – Lucinha Dettori – 2013 – Agroturismo Kent’Anni – 

RENOSU ROSSO ROMANGIA – O MEU FAVORITO

—————————————————————————————-

È il Cannonau sardo il vino più antico del mondo

Per brindare, per disperazione o per puro piacere come accompagnamento ai pasti, è ormai noto a tutti che il vino rappresenta una delle bevande più consumate a livello planetario. Una narrazione storiografica lunga millenni ci ha tramandato tutta una serie di figure che -dall’epoca greca a quella romana, passando per quella comunale fino all’epoca odierna- del piacere del bere ne hanno cantato le lodi.

E nella lunga querelle su chi siano gli inventori del vino e su chi ne abbia diffuso l’uso su vasta scala, nuovi ritrovamenti archeologici rivelano che la Sardegna sarebbe la patria originaria del vino. Infatti a Monastir, comune della Città Metropolitana di Cagliari, alcuni ritrovamenti di epoca nuragica -risalenti addirittura all’età del Ferro, tra 900 e 750 a.C.– hanno fatto sorgere questa tesi già dagli inizi degli anni ’90.

Il ritrovamento di un torchio millenario in cui sono state rilevate tracce biologiche di acido tartarico (presente nell’uva) indurrebbe a far pensare che tale strumento servisse alle antiche popolazioni nuragiche per produrre il vino. Una traccia antichissima, risalente al IX secolo a.C, che costituisce la più antica (di questo tipo) rinvenuta nella zona europea. Le tracce analizzate dai chimici dell’Università di Cagliari rivelano ulteriori particolari su questo antico nettare di vino: l’origine sarebbe di viti autoctoni e di tipo rosso (vino rosso), qualcosa di potenzialmente e verosimilmente simile al Cannonau: un antico cannonau padre di quello moderno, che affonda in Sardegna le antichissime origini del vino.

Fonte:http://metrokaralis.it/e-il-cannonau-sardo-il-vino-piu-antico-del-mondo

Por SSTM – Edição em português – Lucinha Dettori