Arquivo | março, 2020

A atmosfera encantada do Burgo Medieval da antiga Tratalia no territorio de Sulcis.

23 mar

Sugestão do Artigo: Videomaker Sérgio Carrozza –

Carbonia –

Edição em português Brasil : blog SSTM – Lucinha Dettori

Tratalias não está perto de nada. ” Assim começou “E assim e conhecida até hoje” (1992): um motorista de táxi responde a Fabrizio Bentivoglio, indo de Cagliari para a vila do baixo Sulcis, Tratalias parece ser um país distante no tempo, envolto no encanto intacto de sua história milenar. Construído em frente ao Golfo de Palmas por volta do ano 1000 (como o número de seus habitantes atuais), viveu seu esplendor máximo como sede episcopal nas idades de Pisani e Espanha e manteve um papel de liderança até o século XIX. A vila original foi abandonada na década de oitenta do século XX, após a construção do lago artificial de Monte Pranu, cujas águas infiltradas tornavam as casas inutilizáveis. A vila ‘fantasma’ de algumas casas de pedra restauradas a levará à atmosfera encantada da antiga Tatalia, uma vez fechada por três arcos ‘barrocos’ (dois intactos hoje), talvez acessos à cidadela. No centro fica a antiga catedral de Santa Maria di Monserrato, construída entre 1212 e 1282, sede da diocese de Sulci de 1218 a 1503 após o abandono de Sant’Antioco e da costa, ameaçada por ataques sarracenos. É uma jóia da arte românica com formas arquitetônicas únicas na ilha. Por trás dele, há oficinas de artesanato, onde você observará a arte de fabricação ao vivo. Na praça da igreja fica a casa espanhola, cuja primeira planta, restaurada no século XVII, remonta ao século XIII-XIII.

( Testo Originale)

Tratalias non è vicino a niente”. Inizia così ‘La fine è nota’ (1992): un tassista risponde a Fabrizio Bentivoglio, diretto da Cagliari al paesino del basso Sulcis, Tratalias appare un paese lontano nel tempo, avvolto dal fascino intatto della sua storia millenaria. Sorto di fronte al golfo di Palmas intorno all’anno mille (come il numero dei suoi attuali abitanti), visse il massimo splendore da sede episcopale in età pisana e spagnola e mantenne un ruolo di primo piano sino al XIX secolo. Il borgo originario fu abbandonato negli anni Ottanta del XX, dopo la realizzazione del lago artificiale di monte Pranu, le cui acque, infiltrandosi, resero inagibili le case. Il borgo ‘fantasma’ di poche case in pietra restaurate ti porterà nell’atmosfera incantata dell’antica Tatalia, un tempo chiusa da tre archi ‘barocchi’ (due oggi integri), forse accessi alla cittadella. Al centro c’è l’ex cattedrale di santa Maria di Monserrato, costruita fra 1212 e 1282, sede

della diocesi di Sulci da 1218 a 1503 dopo l’abbandono di Sant’Antioco e della costa, minacciate dalle incursioni saracene. È un gioiello d’arte romanica con forme architettoniche uniche nell’Isola. Alle sue spalle ci sono laboratori artigiani, dove osserverai dal vivo l’arte manifatturiera. Nella piazza della chiesa spicca la casa spagnola, il cui primo impianto, restaurato nel XVII secolo, risalirebbe al XII-XIII.