Arquivo | Historia e Archeologia Sarda RSS feed for this section

Você sabe o que é um Nuraghe?

26 ago

Você sabe o que é um Nuraghe?

Colaboração : Lucinha Dettori

Fonte: www.noticiasdabota.com

Nuraghi (plural) são construções pré-históricas que encontramos praticamente em todo território da Sardegna. Trata-se dos maiores e mais conservados monumentos megalíticos de toda a Europa. Os Nuraghi foram o centro da vida social dos antigos sardos, dando inclusive, o nome a sua civilização, a civilização nurágica (Civiltà nuragica), uma das mais misteriosas e menos conhecida de todo o Mediterrâneo.

A raiz NUR da palavra Nurague, segundo os historiadores, é de origem muito primitiva e significa um acumulo de grandes blocos de pedras. Na Sardegna, ainda podemos encontrar espalhados por todo o território da ilha, cerca de 7.000 nuraghi ( historiadores afirmam que na verdade possam existirem ainda 8.000 nuraghi, e no passado existiam mais de 20.000).
Alguns estudiosos afirmam, que os nuraghi eram edifícios de caráter civil militar destinados particularmente ao controle e defesa do território e dos recursos nele presente, mas existem muitas dúvidas a respeito e ainda hoje se pergunta sobre a sua real função e as técnicas que foram utilizadas para construí-los. O Nuraghe é considerado por unanimidade como o símbolo mais importante da Sardegna.

Nuraghe Paddaggiu Leni – Castel Sardo

A muralha possuia 58m, sendo 2,4m de altura. Era provavelmente um muralha edificada para defender uma vila pré-histórica que se encontrava no seu interno a qual atualmente se vê poucos traços. Foi possivel datar o sitio porque foram encontrados na parte interna da torres, diversas cerâmicas atribuídas a Cultura di Monte Claro (Segunda metade do III Milênio A.C.). Infelizmente, esse nuraghe não esta aberto a visitção.

Nuraghe Palmavera – Alghero

Um outro Nuraghe é o Palmavera que fica localizado na cidade de Alghero, Provincia de Sassari. Ao contrário do nuraghe acima, este é gestido por uma Cooperativa Arqueológica e o bilhete de entrada custa cerca de 5 euros.
Esistem vários outros Nuraghi pelas estradas da Sardegna. São nuraghi menos conservados e por isso abandonados. Alguns sujos, nos quais turistas o transforam em banheiros publicos, com papel higiênicos sujos espalhados pelo chão. É praticamente impossivel de se entrar. Esperamos que algum dia, os homens compreendam a importancia de conservar a história e a origem de uma civilização tão antiga como a da Sardegna.

Anúncios

SARDEGNA a Myth in the Mediterranean Sea – Sardegna um mito no mar mediterrâneo

23 ago

BANDIERA E GANFALONE DELLA SARDEGNA

22 ago

 

LA BANDIERA DI SARDEGNA –  croce rossa accantonata da quattro mori bendati, è il simbolo del popolo sardo

LA  bandeira ou gonfalone (a partir do início italiano confalone), é uma longa bandeira ou banner, muitas vezes apontado, swallow-tailed, ou com vários streamers, e suspensa a partir de um Crossbar.  Em primeiro lugar, foi adoptada pelo italiano comunas medievais, e, mais tarde, por local Guildas, Sociedades Anônimas e Distritos.

Ela pode ser concebida com um crachá ou brasão de armas, ou ornamentados com um design extravagante.  Hoje todos os italianos comune (município) tem um gonfalone desportivas seu brasão de armas.

 A bandeira tem sido desde há muito utilizado para cerimónias religiosas e procissões. A papal “ombrellino”, um símbolo do papa é muitas vezes erroneamente chamado de “gonfalone” pelos italianos, porque o cerimonial do papa cúpula foi muitas vezes retratado no banner.

Gonfaloni era originalmente o nome dado a comunidade local, ou vizinhança, reuniões em Florença medieval, cada “vizinhança” tinha a sua própria bandeira e brasão de armas, e a palavra Gonfalone se tornou associado com a bandeira. Gonfalons também são utilizados em algumas universidades e cerimônias.

A história da Sardegna

17 jul

Isolada por séculos e considerada a segunda ilha do Mediterrâneo, a Sardegna se tornou uma região extremamente ligada a suas tradições milenares devido sua distância em relação ao continente.

A falta de contato com os povos costeiros da Itália fez com que a ilha se desenvolvesse de maneira autônoma. O povo sardo não possui relato histórico de desbravamentos por mar apesar da sua localização estratégica. Seu povo sempre foi pacato e se constituiu basicamente de pastores e agricultores.

Muitos povos, como os Fenícios, Romanos, Vândalos, Árabes, Genoveses, Pisanos e Espanhóis, invadiram a Sardegna. Seus habitantes, em busca de refúgio, saíram da costa e aventuraram pelo interior montanhoso e de difícil acesso da ilha.

Sua forte ligação com seus costumes e tradições populares é mais vivo do que em muitas outras culturas. Ainda é possível notar o uso de antigos dialetos em algumas regiões. A herança de seus ancestrais pastores e agricultores se manifesta através do artesanato tradicional de tapetes, cestos, cerâmicas, tecidos e bordados.

As línguas mais faladas na Sardenha são o italiano e o sardo, uma língua românica com influências do fenício, do etrusco e doutras línguas do oriente próximo. Embora esteja em decréscimo de falantes, principalmente os jovens de Cagliari, para o italiano, devido a razões oficiais, ainda é muito falada.

Nas regiões nortenhas de Gallura e Sassari, a língua falada é não o sardo mas uma variação do corso. Na ilha de São Pedro (San Pietro), é falado o dialecto linguriano de Génova. Em Alghero, ao norte, é falado também um dialecto medieval do catalão (o nome desta cidade, em catalão, é L’Alguer), como relembrando-nos que a ilha foi uma colónia catalã no passado.

A ilha sarda é composta de várias províncias. Sua extensão e composta pelas por:

Cagliari, Casteddu (cerca de 160 000 habitantes)
Sassari, Sàssari em Sassarês e Tathari em língua sarda (cerca de 130 000 habitantes)
Nuoro, Nùgoro
Oristano, Aristanis
Alghero, L’Alguer em Catalão
Arzachena, Alzachena
Bitti, Bithi
Bonorva, Bonolva
Bosa, Bosa
Cabras, Crabas
Carbonia, Crabonia
Castelsardo, Casteddu Saldu
Cuglieri, Culiri
Dorgali, Durgale
Gavoi, Gaboi
Iglesias, Igresias
La Maddalena, A Maddalena
Lanusei, Lanuse
Lodè, Bidda manna
Macomer, Maccumele
Mogoro, Mogoru
Olbia, Terranoa
Oliena, Uliana
Orune, Orune
Ozieri, Othieri
Perfugas, Peifuas
Ploaghe, Piaghe
Porto Torres, Poltu Torra
Posada, Pasata
Pozzomaggiore, Puthumajore
Quartu Sant’Elena, Quartu Santa Aleni
Sanluri, Seddori
San Teodoro, Santu Tiadoru
Sant’Antioco, Sant’Antiogu
San Pietro, Santu Predu
Selargius, Cedraxius
Siniscola, Thiniscole
Tempio Pausania, Tempiu
Teulada, Teulada
Villacidro, Biddexirdu
Villaputzu, Biddeputzi

Sua moeda oficial é o Euro, mas os sardos ainda se referem, não oficialmente, ao su Francu (ou “su Pidzu”); 1 francu=1,000 Lira Italiana.