Nuraghe Serbissi em Osini : na Sardenha um dos 7000 nuraghi,construído a 800 anos antes da fundação de Roma

31 maio

Fonte: Giorgio Fanni 

Por SSTM 

Ediçã em portutugês 

Lucinha Detttori

Vídeo Nuraghe Serbissi em Osini : na Sardenha há pelo menos 7000 nuraghi , enormes torres de pedra construída 800 anos antes da fundação de Roma, há tholos e corredor, não são construídas com pedras megalíticas e com pedras mais quadrado, existem (palácios às vezes reais, como mono-e lóbulos poli- Su Nuraxi em Barumini ou Santu Antine em Torralba ), cercada por aldeias nuraghes, menires, túmulos de gigantes ou completamente isolado.

 Esses são testemunhos incríveis do poder – organizacional, construtivo e militar – de nossa terra há milênios. Alguns, então, por sua posição acabam sendo particularmente sugestivos, é o caso de Nuraghe Serbissi a Osini., Construído adaptando a base para os afloramentos rochosos, bem em cima de uma caverna , que era parte integrante da vizinha aldeia nuragico 8 cabanas. 

Estamos no “Taccu” de Osini , uma fortaleza natural, paredes de pedra calcária íngremes, entre Ogliastra e Barbagia , em uma localização privilegiada e estratégica , a 964 metros de altura acima do nível do mar, com magníficas vistas sobre os vales circundantes, como, então, será o castelos medievais 3 mil anos depois. O vídeo maravilhoso que você vê acima foi filmado pelo guia ambiental e de caminhadas.

Giorgio Fanni .

 

 

Parque Natural Regional Tepilora recebeu o reconhecimento da UNESCO do MAB (Homem e Biosfera): único na Sardenha e oitavo de toda a Itália!

22 maio


 

Fonte: ESSENCIA SENSORIAL OASIS

https://www.essenzasardegna.com/2017/06/17/sardegna-naturale-parco-tepilora-riserva-unesco/ e https://www.booking.com

Edição em Português : Lucinha Dettori

Blog. Sardegna Sa Terra Mia – Brasil

 Finalmente é oficial: o Parque Natural Regional Tepilora recebeu o reconhecimento da UNESCO do MAB (Homem e Biosfera), apenas um na Sardenha e oitavo de toda a Itália!

Nós da  Essence Sensorial oásis, completamente imerso neste cenário fantástico, celebramos juntamente com Sardenha sua primeira Reserva da Biosfera , 8000 hectares de natureza que combinam o mar e a montanha, rio e ecossistema florestal biodiversidade, trilhas e nascentes, artesanato e tradições … em uma única área protegida agora um patrimônio da UNESCO!.

Anunciado em um local de prestígio em Paris na presença dos prefeitos e vereadores de Meio Ambiente, a área de Tepilora Parque dos territórios Rio Posada e Montalbo que adquiriram o status de “Reserva da Biosfera”, o prestigioso reconhecimento há muito esperado internacional desde data da candidatura no ano passado .

Como Nicola Pinna escreve La Stampa, o Parque Tepilora é uma espécie de baú do tesouro da natureza no coração da Sardenha , uma área que abrange o território de 17 países de Nuoro e um dos cantos do planeta que ainda salvaguarda as belezas da natureza ..

Foto de Angelo Canu

O programa “O Homem e a Biosfera” (MAB), criada em 1971, está envolvida na preservação e valorização dos ecossistemas e identifica áreas ainda caracterizadas por uma biodiversidade única, com ênfase em modelos de gestão promovidas localmente e políticas desenvolvimento sustentável.

De fato, na motivação para o prêmio Riserva MAB Tepilora, existem:

  • a diferenciação de paisagens
  • desenvolvimento sustentável e educação ambiental
  • a qualidade de vida
  • a vivacidade da língua da Sardenha
  • a riqueza da história e da cultura antigas (incluindo o Canto, um tenore, já patrimônio da UNESCO)

E aqui está a Sardenha, mais uma vez, confirmando-se como uma pérola do Mediterrâneo . Uma terra muito antiga, animada por dezenas de belezas primordiais. Uma terra com vocação para manter o equilíbrio entre o homem e o ambiente, uma mistura de ventos para respirar, para ouvir lendas e experiências para viver: o Parque Tepilora tem isso e muito mais exploração de si mesmo e da ‘ ilha inteira …

O que você está esperando? venha nos visitar e hospede-se no:

L’Essenza – Oasi Sensoriale em Sardegna

Você pode fazer suas reservas diretamente no Endereço
Località Cuccu Ezzu, 08020 Torpè NU, Itália

Telefone+39 333 654 0140  ou no atraves d site do  

Booking.com
———————————————————————————————————————————————–

 VEJAM QUE  LUGAR APRASÍVEL E  PARADISÍACA…

L’Essenza – Oasi Sensoriale em Sardegna

Fonte: https://www.booking.com/hotel/it/essenza-oasi-sensoriale-in-sardegna.html?aid=1213432;label=seogooglelocal-link-imagesaow-hotel-562649_grp-1_gendate-20180428;utm_source=seogooglelocal;utm_medium=photo;utm_term=hotel-562649_photo-45327662

 Uma das nossas principais opções em Torpè. Rodeado pela paisagem campestre da Sardenha, o L’Essenza fica a 3 km do centro de Torpè. A propriedade oferece experiências de bem-estar, incluindo aromaterapia, cromoterapia e medicina de ervas. O Wi-Fi e o estacionamento são gratuitos.

Situado em Pinettos, uma área tradicional redonda, antiga cabanas de pastores, os quartos possuem decoração colorida e ar-condicionado. Todos incluem banheiro privativo com secador de cabelo e amenidades de banho gratuitas.

Você pode preparar suas próprias refeições na cozinha de uso comum. Um lounge de uso comum com lareira também está disponível no local. Você pode reservar uma massagem ou participar de trilhas a pé organizadas pela equipe.

L’Essenza – Oasi Sensoriale em Sardegna fica a menos de 20 minutos de carro da praia e do centro de Siniscola. Um ônibus que para a 3 km de distância oferece conexões para Olbia, Nuoro e Cagliari.

Casais particularmente gostam da localização — eles deram nota 8,9 para viagem a dois.

 

ANTONELLA PORCEDDU PISÁ – A JOVEM ARTESÃ CAGLIARITANA QUE PROFETIZA ATRAVÉS DA SUA ARTE A ESSÊNCIA DA SUA VERDADE.

20 maio

 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up

De Blog Sardenha Sa Terra Mia – Brasil 

Ediçao Lucinha Dettori

ANTONELLA PORCEDUU PISÀ, nasceu criando e desde a infância, fazia lindos objetos de adornos femininos, ou seja, bijuterias que é um seguimento da ourivesaria, feitos com ligas de metais, que podem imitar desde o ouro até prata. No caso de Antonella ela usa pedras semipreciosas fabricando imitações de joias e peças de fantasia. Os mais requisitados são os confeccionados em perolas barrocas de água doce, que realmente são de bela beleza de encher os olhos.

Em nossa entrevista, me disse que desde o ensino médio “ela teria duas opções na vida, uma ser uma grande escritora, pois tinha uma forte veia para esta arte e/ou virar uma grande artesã de joias e adornos femininos. No caso eu incluiria uma terceira, ser uma modelo famosa, tendo em vista, sua exuberância e beleza, tão natural às mulheres do mediterrâneo, em particular as de origem Sarda.

Me disse ainda, que na verdade este trabalho é um hobby nato e, que nunca fiz cursos ou outras formações profissionalizantes, e que suas criações vêm do imenso gosto e prazer de criar. “Gosto disso, e me envolvo e dedico de corpo e alma em minhas criações…”

Até então, Antonella Poceddu Pisà, nunca havia mostrado profissionalmente esta sua imensa habilidade criativa. Está ideia lhe veio à tona, quando perdeu seu emprego, (evento este que ultimamente vem assolando o nosso planeta…) decidindo não mais dar de presente suas belíssimas criações e a -partir daí, cria-las, publicá-las e vendê-las, se tornando-se uma empresária independente com grandes possibilidades de muito sucesso num futuro não muito distante.  

Antonella também e uma eximia artesão, com outros tipos de artefatos como com a lã, manuseados e fabricados elegantemente com meus dedos mágicos. Adora também criar com  zip ou (fecho-éclair é fazer tatting, (Espiguilha. Uma espécie de renda feita a partir de linhas de costura comuns, com um ponto peculiar. termo genérico da agulha, needlecraft.) e desenhar sutache, comumente conhecido e usado em costura; trança de seda, lã ou algodão que serve de adorno a peças do vestuário)

Vejamos uma pequena mostra da arte dessa incrivel artista Cagliritana.

Contato para adquirir peças

Creanto
Artista
Cagliari

 

ANTONELLA PORCEDDU PISÀ – LA GIOVANE CAGLIARITANA ARTIGIANALE CHE PROFETESSA ATTRAVERSO LA LORO ARTE L’ESSENZA DELLA SUA VERITÀ.

Adaptaçao para o Italiano Macheroni.

ANTONELLA PORCEDUU PISÀ, una artista creativa. Fino dalla dall’infanzia, ha realizzato bellissimi oggetti di ornamenti femminili, cioè gioielli che sono un seguito di oreficeria, realizzati con leghe di metalli, che possono imitare dall’oro all’argento. Nel caso di Antonella usa pietre semipreziose che fanno imitazioni di gioielli e pezzi di costume. I più richiesti sono quelli realizzati in perle d’acqua dolce barocche, che sono davvero di una bellezza stupenda da riempire gli occhi.

Nella nostra intervista, mi disse che dal liceo “avrebbe avuto due opzioni nella vita, essere una grande scrittrice, perché aveva una vena forte per quest’arte e / o diventare una grande artigiana di gioielli e ornamenti femminili. Ho suggerito una terza opzione, d’essere una modella famosa, in vista, la sua esuberanza e bellezza, così naturale per le donne del Mediterraneo, in particolare quelle di origine sarda.

Mi ha anche detto che in realtà questo lavoro è un hobby naturale e che non ha mai seguito corsi o altri corsi professionali e che le sue creazioni nascono dall’immenso gusto e piacere della creazione. “Mi piace, e sono coinvolto e dedicato ancora di anima e corpo nelle mie creazioni …”

Fino ad allora, Antonella Porceddu Pisà, non aveva mai mostrato professionalmente questa immensa capacità creativa. Questa idea è venuta in superficie quando ha perso il lavoro, (questo evento che ha infuriato il nostro pianeta ultimamente …) decidendo di non regalare le sue meravigliose creazioni e di crearle, pubblicarle e venderle loro, diventando una donna d’affari indipendente con grandi possibilità di successo in un futuro non troppo lontano.

Antonella è anche una eccelle artigiana, con altri tipi di artefatti come la lana, maneggiata e fabbricata elegantemente con le sue dita magiche. Ama anche creare con zip o (zip-up per fare chiacchierino, e disegnare sutache, comunemente noto e utilizzato in cucito, treccia di seta, lana o cotone che funge da ornamento per gli indumenti) Vediamo allora un piccolo esempio delle opere di questo artista di

SASSARI PRONTA PARA A FESTA DA “CAVALDAGADA SARDA” : ESTE ANO COM A PRESENÇA DA TV BRASILEIRA

18 maio

O grande desfile de Trajes típicos o domingo 20 de maio será o ponto de partida para um documentário. Lançamento do programa de exposições e eventos na Piazza d’Italia Sassari. 

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos de solSugetão de Post ; Chiara Dettori – Olbia
Fonta : La Nuova SardenhaBlog Sardegna Sa Terra Mia – Brasil 
Transcrição do texto em português -Lucinha Dettori –

Haverá também a televisão nacional brasileira nos próximos dias na cidade para produzir um documentário sobre Sassari, suas tradições e, em particular, sobre a “Cavalgada da Sarda”. Até mesmo um grupo de fotógrafos dos Estados Unidos, Austrália e Áustria escolheu o desfile de domingo como tema de uma reportagem de imagens na Sardenha, além de um fotógrafo freelancer do Rio de Janeiro. 

Apesar do clima de inverno, a cidade espera pelo sol e se prepara para o grande evento que atrairá milhares de turistas ao longo do caminho. Já no início da Piazza d’Italia a revisão de canções e danças tradicionais da Sardenha pela Associazione Sardegna Folk.

UM POUCO DA EXTENSA PROGRAMAÇAO

Sexta-feira, maio 18 a 18 retornará o evento antecipado em Monte Accoddi com “Vozes e sons de mitos e rituais”, apresentado por Giuliano Marongiu. A noite inclui um desempenho de Roberto Tangianu para launeddas, o conteúdo “Gennargentu” de Fonni, o coro “Bachis Sulis” de Aritzo, dirigido por Michele Turnu, que vai acompanhar o desfile de máscaras da Sardenha Carnaval, o Mamutzones Antigos Samugheo, é Mustayonis e s’Orku Foresu Sestu, Sos Corriolos Neoneli, Sos Corrajos Paulilatino, S’Urtzu e sos Bardianos de Ula e Urthos e Buttudos Fonni. A noite vai fechar com um site específico performance “Koi, dançamos cantando”, dirigido por Chiara Murru com máscaras de Mamuntones Franco Venda e jogos ao vivo por Francesco Medda.

As notícias de 2018 serão um espaço disponível perto do altar pré-Nurágico onde você pode estacionar em total segurança. De sexta a domingo, o centro da cidade abrigará uma série de iniciativas dedicadas à comida e ao vinho. Ele retornará à Piazza Castello Pani di Sardegna, exposições, degustações, reuniões, oficinas e muito mais para apresentar a cultura de sabores e sabores da Sardenha pelo evento Sardenha. Na Piazza Fiume, haverá o festival Beauty Food – Eat & Buffas, organizado pelas associações S’Andala e Abbì.

Dois importantes eventos com a arte de Angelo Maggi enriquecerão o programa do Maggio Sassarese e do Cavalcata de 4 a 26 de maio na Sala G. Duce no Palazzo Ducale.

 

LÁGIMAS POR ROSELLO : Como o fio de Ariadne no labirinto… A história de uma família de emigrados Sardos no Brasil

1 maio

 

 Livro  impresso apenas por demanda –  maiores informações através do  e-mail:mariluciaheitor@terra.com.br

Maria Rosa Dominici

Fonte : categoria | Antropologia, Direitos Humanos, Família e Menores

Lágrimas por Rosello, de Lucinha Dettori – Uma historia de emigrantes Sardos no Brasil –

Blog. SSTM – Brasil
Postado em 01 mai 2018 por Maria Rosa DOMINICI – 

       Meu nome na introdução que escrevi deste livro para esta amiga do facebbok, brasileira, ainda me emociona desde quando ela me pediu para fazer esse trabalho, mesmo porque  sou pouco familiarizada com o Português. Temerária, mas eu gosto de me desafiar, concordei, porque existem ecos, embora distantes, que ressoam em uma parte da minha infância.

Está é a história de uma menina, filha pai de emigrante de origem da Sardenha.
Lembro-me da reunião sobre social, que eu falava sobre as meninas, falava do amor pela arqueologia e pela Sardenha, contava da minha experiência no Brasil, incluindo uma conferência na Universidade de St. Agostino Montes Claros, da minha amiga karinne que  me havia  enviado um convite para o VIII Congresso Brasileiro Direito do Estado e Teoria, IV seminário Internacional de Direitos Humanos de 10/13 Maio de 2011, e como dali continuei para Fortaleza para visitar a sede de uma ONG, do qual, era um membro do CDA.

Ao retornar daquela viagem, escrevi um relatório sobre Fortaleza e turismo sexual.
Durante esse tempo no Brasil fiz belos e construtivos conhecimentos, tanto que o prof. José Luiz Quadros Magalhães, depois de hospedar sobre o seu blog alguns dos meus artigos, me levou a criar o meu próprio site vitimologia, que foi projetado e construído com Emilio Viano, Karinne Ferreira Braga e outros colaboradores e eu publicamos o relatório em 28/11/2011 sobre  “Fortaleza, Inferno dos pequenos anjos” na http://www.crimevictimpsicantropos.com.
O conjunto de interesses e experiências comuns, fez com  que, Lucinha Dettori, e eu nos tornassemos amigas no FaceBook.

Dettori traduzindo e publicando em seu site alguns dos meus artigos, um dia me perguntou se eu estava disposto a ler o seu livro, escrito em Português e, em seguida, se eu gostaria de expressar minhas observações na introdução do mesmo.Obviamente disse que sim, encontrando uma história notável / testemunho de emigrantes da Sardenha no Brasil, era a história de seus antepassados.

ESTRANHAS COINCIDÊNCIAS NESTE PERÍODO DA MINHA VIDA. EM SÍNTESE, NO PRESENTE DE  CADA UM DE NÓS, EXISTEM RAÍZES DO PASSADO, NAQUELE PASSADO QUE TEM VISTO MUITOS ITALIANO COMO EMIGRANTES A PROCURAR , NÃO APENAS FORTUNA, MA SIMPLESMENTE SUSTENTO PARA A PRÓPRIA FAMÍLIA nos países mais ‘ou menos distante.

Sou grato a Dettori  porque ela me permite expressar meu amor por esta terra generosa, bonito e complexa que é o Brasil,
bom dia Brasil, obrigada.

—————————————————————————————————————————————–

Daí a introdução, escrita por mim, a versão bilingue, é claro, a versão em Português é Lucinha.

O livro de Lucinha Dettori é um testemunho valioso, através da palavra escrita e o revelar e revelar-se a si próprio, o que o faz situar-se entre um texto sociológico, o exame minucioso das aventuras dos primeiros imigrantes Sardos, um livro histórico e político, do período entre o final do século XVIII e início do século XIX até o presente momento, um livro psico-antropológico do qual emerge confrontos entre usos e costumes de vários povos europeus que procuravam inserir-se e integrar-se no Brasil, através do texto de uma crônica autobiográfica frequentemente frustrada por preconceitos, pobreza, miséria e infortúnio. Interessante a distorção de alguns sobrenomes para torná-los semelhantes aos locais de origem, derivada da transcrição de documentos e a diferença linguística, bem como, a dificuldade em encontrar documentos que comprovem os primeiros assentamentos parentais que intensamente e com obstinação, a autora conseguiu recuperar.

São tantas as páginas que prendem pela mão o leitor e o conduz ao lado de Lucinha, para ver, viver, e sentir aquilo que ela mesma experimentou, quase como cicerone de si mesma. Ela é um bacharel em turismo e também acompanhante das dobras mais profundas da alma emigrante, estrangeira em pátria de outros… E talvez na própria.

Emigração, matrimônios mistos, fadiga, resgate social, ilusões e esperança, tudo isso nestas páginas, mas principalmente uma forte vontade gravada no coração de uma menina determinada a realizar o seu retorno ao passado…..

 —————————————————————————-

TESTO EM ITALIANO 

categoria | Antropologica, Diritti umani, Famiglia e Minori
Lágrimas por Rosello, de Lucinha Dettori por Lucinha Dettori Scano.Storia di emigrazione
Inserito il 01 maggio 2018 da Maria Rosa DOMINICI

 Il mio nome nell’introduzione che scrissi per questo libro di questa amica fb ,brasiliana ,mi emoziona ancora come quando mi chiese di farlo,un’impresa ,per me che non conosco bene il portoghese,temeraria,ma il mettermi alla prova mi piace e accettai,anche perchè ci sono echi seppur lontani che risuonano in una mia parte infantile.

E ‘la storia di una bambina,figlia di un padre emigrante di origini sarde.
Ricordo l’incontro sul Social,parlavo di vittime bambine,parlavo dell’amore per l’archeologia e per la Sardegna,raccontavo della mia esperienza in Brasile ,fra una conferenza all’Università Sant’Agostino di Montes Claros,della mia allieva/amica Karinne che appunto mi aveva invitato al VIII° Congresso Brasileiro Direito e Teoria do Estado,IV° Seminario Internacional de Direitos Humanos del 10/13 maggio 2011,e come da li prosegui per Fortaleza per visitare la sede di una ONG,di cui,all’epoca,ero membro del CDA.

Al rientro da quel viaggio scrissi un report su Fortaleza e il turismo sessuale.
Durante quel periodo in Brasile si crearono belle e costruttive conoscenze,tanto che il prof. Jose Luiz Quadros Magalhães ,dopo aver ospitato sul suo blog alcuni miei articoli,mi incitò a creare un mio sito di vittimologia,che fu pensato e realizzato con Emilio Viano,Karinne Braga Ferreira e altri collaboratori e il 28/11/2011 pubblicai il report “Fortaleza, l’inferno dei piccoli angeli” su http://www.crimevictimpsicantropos.com.
L’insieme di interessi ed esperienze comuni,fece si che con Lucinha Dettori divenissimo amiche su Face Book.

Dettori pubblicò e tradusse sul suo sito alcuni miei articoli,poi un giorno mi chiese se ero disponibile per leggere il suo libro,scritto in portoghese e se poi le avrei espresso le mie osservazioni e fatto l’introduzione,ovvio che risposi di si,trovandolo un pregevole racconto/testimonianza degli emigranti sardi in Brasile,era la storia dei suoi antenati.

E oggi I° maggio 2018 ,mi sembra giusto e bello pubblicare questa storia,documento autobiografico di intenso valore testimoniale, dei lavoratori migranti di circa 2 e piu’ secoli fa.

STRANE COINCIDENZE IN QUESTO PERIODO DELLA MIA VITA,IN SINTESI IL PRESENTE DI OGNUNO DI NOI ,HA RADICI NEL PASSATO,IN QUEL PASSATO CHE HA VISTO MOLTI ITALIANI COME EMIGRANTI PER CERCARE,NON SOLO FORTUNA,MA SEMPLICEMENTE SOSTEGNO PER LE PROPRIE FAMIGLIE in Paesi piu’ o meno lontani.

Sono grata a Dettori perchè mi permette cosi ,di esprimere il mio amore per questa terra generosa,bella e complessa che è il Brasile,
bom dia brasill,obrigada.

———————————————————————————————————————————————————————————————-

Prefazione al testo di L.DETTORI

Ecco quindi l’introduzione,da me scritta,nella versione bilingue,ovviamente la traduzione portoghese è di Lucinha.

Il libro di Dettori è un testimone prezioso,tramite la parola scritta , il raccontare e il raccontarsi che lo fa situare ,fra un testo sociologico,(la disanima delle peripezie dei primi emigranti sardi), e un libro storico e politico dell’epoca di fine ‘800 e inizi ‘900 ,fino all’attualità,è un libro psicoantropologico in cui emergono scontri fra usanze e costumi di vari popoli europei che cercavano di inserirsi e integrarsi in Brasile .

E’il testo di una cronaca familiare, autobiografica, spesso frustrata e intrisa da preconcetti razzisti, stigmi come :povertà,disagi ,malattie e sfortuna.
Interessante la distorsione dei cognomi in modo da renderli simili a quelli locali,cosi come la difficoltà ,per Dettori, nel trovare documenti comprovanti i primi insediamenti parentali, che cosi fortemente e con pervicacia l’autrice è riuscita a recuperare.

Tutto ciò rende importante questo libro supportato da documenti e foto d’epoca, che a sociologi,storiografi, studiosi di flussi migratori ,fornirà un valido aiuto informativo.
Non è da meno la serie di ritratti psicologici che ci regala Lucinha,donna colta ,fine osservatrice dell’epopea familiare.
Dal nonno materno,rigido al punto di dannare la propria figlia perché ama un sardo,(di situazione lavorativa ed economica inferiore),alla nonna materna cosi presente come figura genitoriale importante,alla madrina ,buona figura di sostegno e attenzione nei riguardi della piccola e della sua famiglia,Dettori descrivere il funerale di questa benefattrice con parole che catturano l’immaginario ,tanto che “sembra di esserci”.

La madre di Dettori è donna capace di reagire a preconcetti e pregiudizi,vince,per lei,l’amore verso il suo uomo ,sardo affascinante con un temperamento passionale,in nome di ciò sfida tutto e tutti,riuscendo ad intraprendere una sua attività,oltre che avere l’impegno di moglie e madre.
Molte le disgrazie e tanta la fede come appare dai fatti dell’”acqua di marzo…e il quadro di San Sebastiano”,anche se con il vaiolo di Lucinha e de suo fratellino sembrò continuare la cattiva sorte..e il padre in tutto ciò era scomparso per una sua dipendenza dall’alcool..che purtroppo subentrava come reazione secondaria ai vari eventi drammatici che per un lungo periodo perseguitarono la famiglia…..

Purtroppo, in seguito alla distruzione della casa in cui abitava la famiglia, questa fu separata,la madre andò a vivere nell’albergo in cui lavorava e i figli divisi fra vari conoscenti.
In effetti ,l’autrice ricorda e sottolinea come in quell’epoca ,cosi problematica e…pionieristica ,la distinzione fra bontà e cattiveria fosse ancora chiara.
Fu poi recuperata l’immagine del padre in quanto non era scomparso nel momento del bisogno ,perché ubriaco,ma disperato aveva tentato il suicidio e poi aveva ripreso a lavorare ,cosi fu raccontato dai suoi colleghi,quando tornò in famiglia.
Di quei fatti rimasero cicatrici corporee e ferite dello spirito.

Queste pagine hanno in sè l’intensità della storia e la passionalità del romanzo, sicuramente rappresentano un giusto riconoscimento per gli emigranti tutti,in questo specifico,gli italiani sardi.

Tanti emigranti che con il loro lavoro contribuirono alla crescita e allo sviluppo di questo bel Paese dell’America Latina,il Brasile
Grazie all’autrice di questo significativo libro/ documento
Maria Rosa Dominici Bortolotti

 Il libro verrà presentato in Sardegna in settembre di quest’anno,probabilmente lo faremo insieme
grazie
Maria Rosa Dominici Bortolotti